PUBLICIDADE
Topo

Fortaleza

Da Série C à semifinal: Fortaleza se reinventa em cinco anos e sonha alto

O Fortaleza de Wellington Paulista mira se consolidar em campanha histórica na temporada - Kely Pereira/AGIF
O Fortaleza de Wellington Paulista mira se consolidar em campanha histórica na temporada Imagem: Kely Pereira/AGIF

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

20/10/2021 04h00

Classificação e Jogos

Se alguém afirmasse, em 2017, que o Fortaleza estaria pela primeira vez numa semifinal de Copa do Brasil em 2021, fatalmente seria questionado. Mas o Leão do Pici se reinventou. Da Série C aos jogos que valem vaga na final, a trajetória mostra que voos mais altos não são impossíveis para quem já fez tanto.

Hoje (20), o duelo com Atlético-MG, às 21h30 (de Brasília), em Belo Horizonte, já é importante por si só. O time cearense está perto como nunca de uma decisão nacional. Pode viver a chance de brigar pelo título mais importante de sua história. O maior feito nas últimas décadas, no cenário nacional, foi a Série B de 2018.

Mas a trajetória que leva a este momento começou no ano anterior, 2017. Depois de bater na trave duas vezes, eliminado pelo Brasil de Pelotas em 2015 e pelo Juventude em 2016, o Fortaleza finalmente conseguiu subir para a Série B. Depois de disputar a terceira divisão desde 2009, o acesso veio com o vice-campeonato para o CSA.

E desde então, a arrancada é impressionante. O título da Série B de 2018 confirmou o regresso à elite. No ano seguinte, veio a conquista da Copa do Nordeste, a consolidação no cenário nacional com a participação pela primeira vez em uma competição internacional na Sul-Americana de 2020, e a estruturação que abriu caminho para o que acontece neste ano: uma campanha histórica.

O Fortaleza não está apenas na semifinal da Copa do Brasil pela primeira vez em sua história, também ocupa o terceiro lugar no Brasileirão, firme no grupo que garante vaga na próxima Libertadores, torneio que jamais disputou.

E os feitos do Leão do Pici vão além dos números. O time comandado por Juan Pablo Vojvoda joga um futebol ofensivo, corajoso e atrativo. Despiu-se das incertezas iniciais e, cada vez mais, finca o pé entre os grandes.

marcelo paz - Leonardo Moreira / Fortaleza - Leonardo Moreira / Fortaleza
Marcelo Paz, presidente do Fortaleza, durante apresentação do técnico Juan Pablo Vojvoda
Imagem: Leonardo Moreira / Fortaleza

"O caminho dessa mudança foi a gestão, não tem outra coisa, a torcida sempre existiu, sempre apoiou, estavam lá em 2006, quando caiu da A para a B e estavam em 2018 quando subiu da B para a A. O clube passou a fazer um modelo de gestão profissional, remunerando os seus dirigentes, tendo planejamento estratégico, tendo todas as diretorias seguindo metas e objetivos, independente de a bola entrar ou não, acreditou no potencial da torcida, no potencial comercial da torcida, instalou lojas na cidade inteira. A marca do clube passou a ser mais divulgada, os produtos passaram a ser mais vendidos", afirmou o presidente Marcelo Paz, ao programa Dividida, com Mauro Cezar Pereira, no Canal UOL, em junho.

Paz, por sinal, é figura central da arrancada do Fortaleza. Sua gestão, embasada em profissionalismo, catapultou a expectativa do clube, aumentou receitas e solidificou processos. Outro personagem importante é Rogério Ceni, que comandou a equipe nas campanhas de 2018, 2019 e 2020, sendo um dos grandes ídolos da torcida.

Independente dos nomes, o clube se fez forte. Hoje, o Fortaleza entra em campo não apenas para novos passos em sua trajetória de feitos recentes, mas para erguer uma bandeira azul, vermelha e branca entre os grandes da atualidade.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG x FORTALEZA
Motivo
: Jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil
Data: 20 de outubro de 2021 (quarta-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Local: estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Bráulio da Silva Machado (Fifa/SC)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil (Fifa/SC) e Henrique Neu Ribeiro (SC)
VAR: Wagner Reway (Fifa/PB)
Transmissão: Globo, SporTV e Premiere. O Placar UOL também acompanha o duelo em tempo real.

ATLÉTICO-MG: Everson; Guga, Réver (Rabello), Alonso eArana; Allan, Jair, Zaracho (Savarino) e Nacho; Keno (Vargas) e Hulk. Técnico: Cuca

FORTALEZA: Felipe Alves; Tinga, Titi e Matheus Jussa; Pikachu, Ederson, Felipe, Lucas Crispim e Matheus Vargas; Robson e Wellington Paulista (Romarinho). Técnico: Juan Pablo Vojvoda

Fortaleza