PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Atraso das camisas do outubro rosa gera novo atrito entre SPFC e Adidas

São Paulo lança camisa para a campanha do Outubro Rosa - Divulgação/São Paulo FC
São Paulo lança camisa para a campanha do Outubro Rosa Imagem: Divulgação/São Paulo FC

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

20/10/2021 04h00

O post no Twitter sobre o lançamento da camisa em homenagem ao outubro rosa deve ser a única ação que o São Paulo fará por um tempo sobre a campanha de conscientização do combate ao câncer de mama. O UOL Esporte apurou com pessoas envolvidas no desenvolvimento das ações que o clube não recebeu da Adidas todos os tamanhos do novo modelo, o que atrasará as atividades previstas para o mês.

Os primeiros modelos chegaram nas mãos do São Paulo apenas ontem (19). A expectativa é que a equipe feminina treine com o modelo hoje, dando início às campanhas na terceira semana do mês. A demora causou incômodo na cúpula são-paulina por ser uma ação que tem seu impacto em um mês específico. Receber camisas sobre o outubro rosa apenas no fim de outubro deixaria a campanha praticamente fora de contexto.

Além dos modelos para ações, o São Paulo ainda aguarda pelas camisas que serão vendidas em sua loja oficial, a SPMania. O único lugar, até o momento, em que é possível comprar o modelo são-paulino é na loja oficial da Adidas. No site da Netshoes, a camisa do São Paulo ainda está em pré-venda. As camisas dos outros times patrocinados pela empresa alemã já estão à venda.

Procurada pela reportagem, a Adidas disse, por meio de sua assessoria de imprensa, que não iria se manifestar sobre o atraso. "As camisas foram lançadas hoje e estão disponíveis para venda", se limitou a dizer.

O episódio é mais um capítulo de desentendimentos entre São Paulo e Adidas. Em julho, o clube paulista ficou fora de um vídeo comemorativo pelos 30 anos da Copa do Mundo. O conselho são-paulino discordou do modelo proposto pela empresa alemã e não houve acordo.

Em setembro, um modelo de tênis com o escudo do São Paulo foi comercializado pela Adidas em algumas lojas físicas da cidade paulistana e irritou a diretoria do clube. O produto tinha sido vetado no início deste ano pela cúpula são-paulina porque o símbolo não seguia os padrões oficiais - as letras estavam distorcidas, maiores do que deveriam.

Desentendimento na mesma linha aconteceu com o terceiro uniforme feito para a temporada. A gestão anterior do São Paulo, de Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, autorizou a produção da Adidas em trocas de e-mails. Não houve, no entanto, uma aprovação assinada pela antiga diretoria, fundamental para que o modelo fosse para a aprovação do Conselho e demais instâncias.

Sem os trâmites, a camisa não teve autorização para ser utilizada em jogos oficiais do São Paulo na temporada.

A Adidas está em sua terceira passagem como fornecedora oficial do São Paulo. O atual contrato foi assinado em 2018, substituindo a Under Armour, e se encerra em dezembro de 2023.

São Paulo