PUBLICIDADE
Topo

Futebol

"Não recebi chamada de ninguém", diz Aguirre sobre a seleção uruguaia

Diego Aguirre, técnico do Inter, disse que rumores não atrapalharam elenco - Ricardo Duarte/Inter
Diego Aguirre, técnico do Inter, disse que rumores não atrapalharam elenco Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/10/2021 18h48

Classificação e Jogos

Além de comentar sobre a derrota para o Palmeiras na tarde de hoje (17), no Allianz Parque, pela 27ª rodada do Brasileirão, o técnico Diego Aguirre se posicionou acerca de sua permanência no Internacional, após rumores de que poderia assumir a seleção uruguaia em uma eventual saída de Óscar Tabárez.

"É verdade que se falou muito, mas eu não recebi nenhuma chamada de ninguém. O Inter também não. Então foi uma coisa que existiu, uma possibilidade, mas em nenhum momento falamos disso. Estávamos pensando no jogo. Óbvio que gera uma expectativa, mas antes do jogo havia a confirmação de que não ia acontecer, então não atrapalhou nesse sentido", disse o treinador do Colorado durante a coletiva de imprensa.

A respeito da derrota para o time alviverde, o uruguaio avaliou que sua equipe fez um bom jogo, decidido no mesmo lance - com o gol de pênalti palmeirense e a expulsão de Edenílson, a oitava do time no campeonato.

Segundo o técnico, o árbitro poderia ter dado somente o cartão amarelo ao meio-campista, que recebeu o vermelho direto por reclamar após a marcação do pênalti.

"O juiz com um cartão amarelo podia solucionar, e quero saber se sempre que tem uma reclamação ele mostra o cartão vermelho. Aí, sim, ele coloca o jogo muito difícil. Com ele (Edenílson) ainda não falei, [não sei] o que ele falou. Independentemente, os juízes podem deixar passar e têm que entender que o jogador está nervoso. Um juiz com experiência, com o amarelo, não decidiria o jogo", prosseguiu o treinador.

O próximo jogo do Inter será diante do Red Bull Bragantino, em casa, na quinta-feira (21). No domingo (24), novamente no Beira-Rio, o time recebe o Corinthians pela 28ª rodada.

Veja outras respostas de Aguirre durante a coletiva de imprensa:

Arbitragem no jogo contra o Palmeiras

"Acho que o juiz estava um pouco nervoso. E o jogo acabou praticamente [no lance do cartão vermelho]. Tem que ter mais responsabilidade. Quase não falo de juízes, mas hoje não gostei. Foi ruim."

Inter lidera número de cartões vermelhos no Brasileirão

"Somente posso falar desde que eu estou aqui. Lembro de duas expulsões [além dessa]. Acho ter normal duas expulsões desde que cheguei. Hoje, acho que o juiz hoje com um cartão amarelo podia solucionar, e quero saber se sempre que tem uma reclamação ele mostra o cartão vermelho. Aí sim ele colocar o jogo muito difícil."

Tabarez fica até o fim do ano. Se sentiria mais confortável de treinar no ano que vem?

"Me sentiria muito melhor se fosse uma coisa começando. Eu estou muito feliz no Inter. Me sinto muito bem. Às vezes acontecem as coisas e vocês não imaginam. Minha ideia é cumprir o contrato com o Inter, e tentar fazer o possível para continuar no Inter. Eu gosto de falar de coisas concretas, de certezas, e se aparecer essa possibilidade, veremos. Mas agora estou bem. Temos que pensar no jogo de quinta-feira, e depois no jogo de domingo."

Bragantino e Corinthians nos próximos jogos. Como pensa a equipe com todos à disposição?

"Tudo é possível. Às vezes é difícil ter todos os jogadores porque acontece alguma coisa. Não vamos ter o Ed no próximo, que foi expulso. Vamos pelas melhores opções, e jogar com dois volantes de marcação é uma opção que podemos fazer. Aos poucos vamos somando opções, e o rendimento nos jogos e treinos, vamos decidindo cada momento. Temos dois jogos decisivos, importantíssimos, porque são rivais diretos na tabela e temos que decidir."

Saída de Taison no segundo tempo

"Já estava acordado que ele iria jogar 60 minutos, no máximo. O DM me pediu isso, estava pré-estabelecido. Ele fazia um bom jogo, é um jogador muito importante, mas temos que cuidar porque teremos jogos quinta e domingo. Fizemos essa troca por isso."

Zé Gabriel como volante

"Ele que me pediu que preferiu voltar à sua posição original de volante. É a posição que ele prefere jogar, então tenho que respeitar o sentimento do jogador. Ele teve a oportunidade de entrar e foi bem. É um jogador que tem condições, tem força física, e na medida das necessidades vamos usar ele."

Futebol