PUBLICIDADE
Topo

Grêmio

Mancini foi demitido do Grêmio invicto por mesmo motivo que o faz retornar

Vagner Mancini comanda treinamento do Grêmio em seu retorno ao clube - Lucas Uebel/Grêmio
Vagner Mancini comanda treinamento do Grêmio em seu retorno ao clube Imagem: Lucas Uebel/Grêmio

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

16/10/2021 04h00

Vagner Mancini assumiu o comando do Grêmio para sua segunda passagem como técnico do time. Entre os argumentos que sustentaram a chegada está "conhecer o estilo do Grêmio". No entanto, foi exatamente a falta de conexão com o perfil do clube que o fez ser demitido após apenas seis jogos no comando em 2008. Mesmo invicto e com 77% de aproveitamento.

Ainda antes da confirmação da contratação, o vice de futebol Denis Abrahão citava que Mancini tinha o perfil procurado por "conhecer o Grêmio". Com passagem pelo time quando atleta, e também como técnico, ele teria facilidade de adaptação.

"Ele é um cara identificado com Grêmio, sabe o que significa estar aqui, conhece o clube", disse o dirigente à Rádio Bandeirantes.

Mas não era esta a avaliação no período curto em que ele comandou o time anteriormente. Mancini tinha números bons, nenhuma derrota, estava em segundo o grupo do Gauchão e com classificação encaminhada na Copa do Brasil, mas ainda assim perdeu cargo pela suposta falta de conexão com "estilo do Grêmio".

Quando optou por romper o vínculo, o então diretor de futebol Paulo Pelaipe disse se disse insatisfeito com a apatia da equipe após vencer o Jaciara-MT fora de casa, mas não evitar o jogo de volta na Copa do Brasil.

"Este não é o Grêmio que conhecemos e queremos", disse na ocasião. "A vitória foi injusta. O adversário se entregou, teve garra, nossa equipe achou que poderia ganhar a qualquer momento. Tínhamos que ter outra dinâmica, vamos conversar internamente", completou no dia que optou por romper com o técnico.

Mancini teve apenas seis jogos no comando entre janeiro e fevereiro daquele ano. Venceu quatro e empatou dois, se despedindo invicto e com 77,7% de aproveitamento.

O substituto chegou sob o mesmo rótulo que chancela a investida agora em Mancini: conhecer o Grêmio. Foi Celso Roth quem comandou a equipe em seguida, e começou de forma empolgante. Enfileirou cinco vitórias consecutivas. Mas acabou balançando logo adiante quando foi eliminado prematuramente do Estadual pelo Juventude e da Copa do Brasil pelo Atlético-GO. Roth foi mantido no cargo e levou o Tricolor ao vice-campeonato do Brasileiro daquele ano.

Agora Mancini tem a oportunidade de mudar o desfecho da passagem anterior. Seu objetivo é evitar o rebaixamento do Grêmio e ter oportunidade de começar a temporada que vem com outra perspectiva.

"Temos que saber que o torcedor está ansioso, passar para ele uma confiança para que ele jogue com a gente. Eu sei que no começo será o contrário. O torcedor vai tentar, mas será em campo que faremos com que o coro seja mantido e que nos reforcemos com toda aquela atmosfera que tiver no estádio", disse em sua apresentação.

O Tricolor ocupa, hoje, a penúltima colocação na classificação. A estreia do novo treinador será no domingo (17), contra o Juventude, em casa.

Grêmio