PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Juca: Seleção não tirou o pé em nenhum momento, quis dar espetáculo

Do UOL, em São Paulo

15/10/2021 18h19

Classificação e Jogos

A atuação da seleção brasileira diante do Uruguai chamou a atenção depois de dois jogos nos quais o time foi alvo de críticas devido à forma como se portou diante de Venezuela e Colômbia. Na goleada por 4 a 1 na Arena da Amazônia, em Manaus, Raphinha voltou a ser destaque do time comandado por Tite, iniciando pela primeira vez como titular.

No podcast Posse de Bola #169, Juca Kfouri elogia o ímpeto da seleção brasileira contra o Uruguai, diz que o placar poderia ter sido mais elástico, não fossem as intervenções do goleiro Muslera, e considera que a apresentação deixa esperança de um time que pode praticar um futebol melhor do que vinha jogando.

"Eu que temia que a seleção mais uma fez fosse fazer concorrência a remédios para dormir, sou obrigado a concordar que quem criticar a atuação da seleção brasileira, o que não significa que ela vai ser campeão do mundo, que esteja pronta e tudo mais, mas quem criticar a atuação da seleção brasileira ontem, vai precisar tomar remédio, mas é para o fígado, porque realmente não estará bem de humor. Muito mais que o 4 a 1, que poderia ter sido 8 a 1, não fosse uma atuação exuberante do Muslera, o que agradou muito é que a seleção não tirou o pé em nenhum momento, a seleção fez questão de dar espetáculo", diz Juca.

"Foi um time que te dá esperança e te permite dizer 'vocês conseguem jogar futebol, façam sempre assim, independentemente de vitória, derrota ou empate, façam sempre assim, entrem em campo para jogar bola'. A seleção jogou bola", completa.

O jornalista considera que a boa atuação da seleção brasileira tem como fator principal a escalação de Raphinha e a postura do jogador, de não se intimidar diante dos uruguaios.

"Acho que isto tem muito a ver com a presença do Raphinha. Enfim, um jogador que entrou em campo para jogar bola, para partir pra cima dos seus adversários, para tentar driblá-los e conseguiu. Mais do que isso, no segundo tempo, quando era natural até que a seleção tirasse o pé na sauna manauara, o Tite ainda pôs o Antony, que tem a mesma vocação que tem o Raphinha e foi um inferno para a frágil seleção uruguaia", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol