PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com só 8 jogos pelo Palmeiras, promessa pode "cair de paraquedas" em final

Gustavo Garcia, lateral direito do Palmeiras, durante o clássico contra o Corinthians - Cesar Greco
Gustavo Garcia, lateral direito do Palmeiras, durante o clássico contra o Corinthians Imagem: Cesar Greco

Diego Iwata Lima

De São Paulo

15/10/2021 04h00

Classificação e Jogos

A lateral direita do Palmeiras vive um momento complicado. O time não terá Marcos Rocha, suspenso, na final da Libertadores —contra o Flamengo, em 27 de novembro. Pode também não ter Mayke, que passou por artroscopia em 30 de setembro. E, na quinta (14), o clube confirmou uma entorse no joelho direito de Gabriel Menino.

Lesões como a de Menino podem tirar um jogador de combate por até dois meses. E é assim que, de repente, uma vaga no time titular do profissional, no jogo mais importante do ano, pode cair no colo de Gustavo Garcia, 19. O jogador do sub-20 Alviverde é o único lateral-direito do clube com rodagem no time profissional 100% apto e disponível para Abel Ferreira hoje.

É como se o destino quisesse Garcia em Montevidéu. "Eu penso apenas no hoje", disse ele ao UOL quando indagado sobre ter expectativas de enfrentar o Flamengo em Montevidéu. "Sei exatamente o que eu tenho que fazer para estar lá [na final].

Garcia, que tem 13 jogos pela seleção brasileira sub-17, fez oito partidas no Campeonato Paulista profissional neste ano, no "Laboratório do Professor Abel". Entrou ao longo do jogo contra Corinthians, São Paulo, Guarani e Ponte Preta. E titular diante de São Bento, Botafogo-SP, Mirassol e Ponte Preta.

Contra o São Bento, sua estreia como titular, jogou só 27 minutos. Foi substituído pelo goleiro Vinícius Silvestre após expulsão de Weverton.

"A gente evolui dia após dia, então desde que tive a oportunidade de estrear pelo profissional [em março] aprendi muito com grandes profissionais que tem dentro do clube. Sei que sou hoje um jogador melhor do que na época e um homem mais preparado para as oportunidades também. Me sinto mais maduro e mais pronto para ajudar o Palmeiras", diz.

Por conta da situação difícil na posição, Gustavo Garcia voltou a treinar com os profissionais e deve ser testado por Abel nos jogos do Brasileirão.

"Eu costumo falar que na vida nós passamos por experiências novas todos os dias e hoje tenho a oportunidade de estar no dia a dia do maior campeão do Brasil ao lado de grandes jogadores", diz. "Ir aos jogos e vivenciar nossa torcida novamente é mágico. Fico feliz de receber a confiança do professor e poder estar aqui hoje. É mais um momento incrível que irei levar para o resto da minha vida", diz.

Mas o que o palmeirense pode esperar de Garcia?

Lateral é jogador de intensidade

"Ele é um jogador muito intenso, que chega bastante na linha de fundo, tem boa qualidade técnica", relembra-se Wesley Carvalho, seu ex-técnico no sub-20. "Foi campeão mundial com a seleção sub-17 que tinha também o [zagueiro] Henri e [Gabriel] Veron, em 2019", conta.

Wesley explica que Garcia é um lateral muito bom no campo ofensivo, com boa chegada à frente e qualidade no chute. Mas, por conta de seu vigor físico, ele consegue também fazer a recomposição defensiva com rapidez, além de ser forte no desarme.

"Quando eu fazia a saída de jogo com a linha de três jogadores, ele ficava espetado como um ponta, e o lateral-esquerdo era quem recuava", exemplifica. "Em termos de estilo de jogo, ele é parecido com o Gabriel Menino, com a diferença que o Gabriel faz melhor um jogo por dentro, enquanto Garcia fica mais pelos lados."

Chegou para jogar futsal com 12 anos

Auxiliar técnico do sub-17, Eduardo Alemão lembra-se da chegada do lateral ao clube. "O Garcia chegou aqui com 12 anos. Veio primeiramente para o futsal e, em pouco tempo, já migrou para o campo", conta Alemão, que foi técnico de futsal do jogador.

"Quando ele era sub-14, foi campeão estadual e metropolitano de futsal sendo decisivo nas duas finais e um dos artilheiros do time. No campo, ele jogava de volante e meia no início, mas logo notamos que a polivalência dele era natural e, após alguns jogos, ele foi para a lateral-direita. Ele já era titular da posição no Sub-13 do campo mesmo sendo um ano mais novo", conta Alemão.

Se Garcia vai jogar a final, é difícil saber. Gabriel Menino e Mayke podem se recuperar. Abel também gosta de improvisar no setor e já testou Danilo Barbosa por ali. Mas, se chamado, o garoto jura que não vai se intimidar.

"A oportunidade vem com o trabalho da semana, e eu me esforço todos os dias para evoluir e estar preparado para quando ela aparecer", disse. É bom, então, Gustavo Garcia estar mesmo atento. Porque pode ser que a tal oportunidade esteja logo ali, à sua espera, em 43 dias.

Futebol