PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Anistia Internacional questiona Premier League sobre donos do Newcastle

O príncipe saudita, novo dono do Newcastle, é ligado a crimes de guerra e ao assassinato de um jornalista - AFP
O príncipe saudita, novo dono do Newcastle, é ligado a crimes de guerra e ao assassinato de um jornalista Imagem: AFP

Do UOL, em São Paulo

13/10/2021 10h56

A Anistia Internacional (AI), organização voltada para a proteção dos direitos humanos, quer se reunir com a Premier League para discutir as políticas da entidade após a venda do Newcastle. O time inglês agora é propriedade do príncipe saudita Mohammed Bin Salman, líder do fundo de investimentos públicos do país, e visto como mandante do assassinato do jornalista Jamal Khashoggi.

De acordo com a presidente da AI no Reino Unido, Sacha Deshmukh, é necessário mudas as regras da entidade que permitiram a compra do time por figuras ligas a crimes contra os direitos humanos. "A forma como a Premier League possibilitou este acordo levanta questões sobre a lavagem de dinheiro no esporte, direitos humanos e integridade no futebol inglês", afirmou a presidente em carta ao presidente da Premier League.

A carta ainda adverte sobre a necessidade de regras que "impeçam pessoas ligadas a violações dos direitos humanos comprem clubes e entrem no futebol inglês". Do lado da Premier League, a entidade garante que o Newcastle, apesar de ter sido comprado pelo fundo de investimentos do governo da Arábia Saudita, não será controlado pelo governo do país.

O jornalista Jamal Khashoggi foi morto em 2018, em Istambul. O príncipe é apontado pela inteligência dos Estados Unidos como mandatário do crime, embora Mohammed negue o envolvimento. Além disso, ele é tratado como um criminoso de guerra pela intervenção na Guerra Civil do Iemên, que se arrasta desde 2015.

Futebol