PUBLICIDADE
Topo

Liga dos Campeões - 2021/2022

Uma chance, um gol: eficiência de Messi derruba falta de pontaria do City

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

28/09/2021 19h14

Classificação e Jogos

Pep Guardiola quase nunca perde uma oportunidade de elogiar seu ex-comandado Lionel Messi, muitas vezes usando o adjetivo "imparável". E foi exatamente isso o que aconteceu aos 30 minutos do segundo tempo da vitória do PSG por 2 a 0 sobre o Manchester City, hoje, pela Liga dos Campeões, quando ele conduziu a bola em diagonal, tabelou com Mbappé e colocou um chute perfeito no ângulo de Ederson. O detalhe é que essa foi a única finalização do argentino na partida.

A precisão de Messi fica ainda mais evidente quando é contrastada com a falta de pontaria do City. O time inglês dominou as ações durante a maior parte do duelo, trocando passes rápidos, marcando pressão, matando os contra-ataques do PSG. Mas faltou balançar a rede: foram incríveis 18 finalizações, sendo sete no alvo, mas sem conseguir tirar o zero do placar.

As duas chances mais impressionantes aconteceram no primeiro tempo. Primeiro, Sterling cabeceou no travessão à queima-roupa após cruzamento perfeito de De Bruyne; no rebote, Bernardo Silva, sem goleiro e na pequena área, mandou de novo a bola no travessão.

Em outras oportunidades criadas pelo City, o goleiro Donnarumma brilhou com ótimas intervenções, em sua estreia na Champions pelo PSG. O italiano fez nada menos que sete defesas, sendo quatro dentro da área. Entre as principais, um chute cruzado de De Bruyne e uma cabeçada de Rúben Dias.

Donnarumma - REUTERS - REUTERS
Donnarumma fez sete defesas na partida, sendo quatro em finalizações de dentro da área
Imagem: REUTERS

Todos esses números ajudam a traduzir o que foi o jogo em campo. O City controlou mais, foi melhor coletivamente, mas parou na falta de refino de suas finalizações — e em Donnarumma. Já do outro lado, as estrelas ofensivas do Paris nem tiveram grandes atuações, mas foram decisivas em momentos-chave da partida. Foram só seis finalizações do time francês, três no alvo e dois gols.

Guardiola escolheu Sterling para comandar o ataque, mas o inglês teve atuação tímida. Além da chance perdida no primeiro tempo, não conseguiu dominar uma bola na área que poderia resultar em mais uma finalização de grande perigo. Gabriel Jesus substituiu o camisa 7 faltando pouco mais de dez minutos para o fim do jogo, mas não teve grandes oportunidades.

"Se Messi está feliz em Paris, eu estou feliz também", disse Guardiola após a partida. O treinador tentou trazer o craque para o City no ano passado, quando ele manifestou sua vontade de sair do Barcelona, mas não conseguiu. Já nesta temporada, os ingleses já tinham dado a camisa 10 a Grealish, contratado por 100 milhões de euros, quando Messi anunciou que não ficaria no Barça. Pelo menos no primeiro duelo entre eles na temporada, pior para Pep.