PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Vojvoda, técnico do Fortaleza, sobre futebol brasileiro: 'Aprendo mais'

Juan Pablo Vojvoda comanda treino do Fortaleza em maio de 2021 - Leonardo Moreira / Fortaleza
Juan Pablo Vojvoda comanda treino do Fortaleza em maio de 2021 Imagem: Leonardo Moreira / Fortaleza

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

27/09/2021 23h51

Classificação e Jogos

Juan Pablo Vojvoda, técnico do Fortaleza, participou hoje do "Bem, Amigos!" e, entre vários assuntos abordados na entrevista, considerou que ele aprende mais do que ensina no Brasil, além de falar sobre as características peculiares dos jogadores brasileiros:

"Eu considero que eu aprendo mais do que eu ensino no Fortaleza, principalmente o que eu falo com os atletas. Eu não quero trocar nada no futebol brasileiro, eu quero agregar, não quero excluir ou trocar. O que eu gosto daqui, é que tem o espírito de gostar de jogar bola, de gostar de jogar futebol".

Vojvoda ainda acrescentou: "Muitas vezes aqui, estamos treinando tarde ou com muito sol e os jogadores querem continuar treinando, eles não reclamam. Isso, pra mim, é impressionante, o amor, eles não perdem. Tudo fica de lado, o profissionalismo, o dinheiro, eles gostam de jogar. Os jogadores têm o sonho, desde pequeno, de ser jogador e eu acho que eles conseguem conservar isso, é muito importante".

O técnico argentino também comentou sobre as comparações recorrentes do Campeonato Brasileiro com as ligas da Europa.

"Quando falamos de Europa, é preciso diferenciar as ligas principais. Sempre quando perguntam na Argentina se o futebol argentino é melhor que o Brasileiro, eu me lembro daquela história do vizinho, que sempre tem a grama melhor. Sempre tem coisas boas e coisas nem tão boas, considero a Premier League uma liga top, gosto da La Liga, mas a Libertadores aqui é muito complicada e competitiva, as eliminatórias Sul-Americanas também, lá tem grandes jogadores, mas eu dou bastante valor para o que temos aqui, temos grandes jogadores aqui e muitos jogadores que jogam lá, nasceram aqui. Lá temos coisas melhores, mas aqui também temos coisas boas".

Vojvoda ainda revelou que não tem uma vida social muito ativa:

"Eu, enquanto vida social, tenho muito pouco. Estou socialmente com meus jogadores e quem trabalha aqui no Pici, de resto, só encontro gente no hotel e aeroporto ou quando minha família vem aqui" e, além disso, comentou um pouco sobre a pandemia: "É uma situação muito complicada essa da pandemia, cada país resolveu de um jeito a situação como eles pensavam que era melhor, não tinha uma verdade escrita e, quanto ao Brasil, acho que sofreu muito, assim como muita gente, mas existiu um esforço pra sair dessa situação, vi que tem bastante gente com as duas doses e é bom isso, quanto mais melhor".

No comando do Fortaleza, Vojvoda chegou pela primeira vez na história do clube à semifinal da Copa do Brasil e está na terceira posição do Campeonato Brasileiro, com 36 pontos, enfrentando o Atlético Goianiense no próximo sábado, às 17h.

UOL Esporte vê TV