PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Gabi Zanotti pede reajuste em premiação no futebol feminino: 'Inadmissível'

Jogadora do Corinthians deu entrevista para o "Encontro", da TV Globo, após título brasileiro - Reprodução/TV Globo
Jogadora do Corinthians deu entrevista para o "Encontro", da TV Globo, após título brasileiro Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

27/09/2021 11h46

Classificação e Jogos

A meia-atacante Gabi Zanotti, uma das destaques do Corinthians na campanha do título do Brasileirão Feminino, criticou a CBF pelo valor da remuneração das equipes campeãs do torneio.

Em entrevista ao "Encontro", da TV Globo, a experiente jogadora de 36 anos revelou que a quantia dada ao clube vencedor não é reajustado há cinco anos.

"A gente vê que a modalidade está evoluindo, mas muitas coisas precisam evoluir junto. No Campeonato Brasileiro, se não me engano, a gente vai para o 5° ano sem ter reajuste de premiação. Acho que isso é inadmissível por tudo o que conseguimos conquistar nesses anos", iniciou a jogadora.

"Eu não estou aqui brigando pelo Corinthians, estou brigando pela modalidade. Não é só o Corinthians, já tiveram outras equipes que poderiam ter uma premiação melhor. Não quero comparar com o masculino e querer a mesma coisa porque o produto é diferente, a gente está em outro patamar. Mas é algo que precisa ser valorizado", prosseguiu Gabi ao programa.

Por fim, a meia-atacante, que já atuou pelo futebol norte-americano e chinês, falou sobre as diferenças de investimento na categoria - principalmente nos EUA.

"Nos EUA, o futebol feminino sempre foi uma grande referência, desde o escolar até a universidade. É só acreditar e dar oportunidade. Os EUA sempre foram um grande modelo. A china e os países da Ásia estão começando também", finalizou ela, pedindo mais "oportunidades para as mulheres mostrarem o trabalho".

Corinthians