PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Juventude aproveita bola parada, faz 3 a 0 e deixa Santos em crise

Juventude 3 x 0 Santos ? Gols ? 26/09 ? Brasileirão 2021

Gols UOL Esporte

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/09/2021 17h53

Classificação e Jogos

Sem ameaçar com a bola rolando, o Juventude foi eficiente na bola parada para vencer o Santos por 3 a 0 no Alfredo Jaconi. A equipe da casa contou com uma tarde (25) inspirada de Guilherme Castilho para ganhar pela 22ª rodada do Brasileirão.

O meia, que ainda deixou o seu gol no final da partida, foi o grande destaque da partida. Responsável pelas cobranças na bola parada, foi o garçom dos gols de Ricardo Bueno, no fim do primeiro tempo, e Dawhan, no começo do segundo.

Com a vitória, a equipe de Caxias do Sul encerra o jejum de seis partidas sem vencer, ainda ultrapassa o Alvinegro e ocupa a 14ª posição, com 26 pontos ganhos. Já o clube paulista chega ao oitavo jogo sem triunfar na competição e se aproxima ainda mais da zona do rebaixamento, ficando na 16ª colocação, com 24 pontos somados.

As duas equipes voltam a campo no próximo domingo (3), às 18h15, pela 23ª rodada do torneio. Enquanto o Peixe atua na Vila Belmiro diante do Fluminense, o time gaúcho vai até o Allianz Parque para encarar o Palmeiras.

Quem foi bem: Guilherme Castilho

O Juventude teve problemas para criar chances com bola rolando, mas o meia compensou com a bola parada. Em duas cobranças, o jogador garantiu as duas assistências para os primeiros gols dos mandantes na tarde de hoje. Para completar, anotou o seu no final.

Quem foi mal: Camacho

Quando chegou ao Santos, pedido por Diniz, Camacho rapidamente se tornou titular absoluto. No entanto, o volante não vem repetindo suas boas atuações ultimamente. No esquema com três zagueiros montado por Carille, o jogador pouco ajudou na criação das jogadas e não apareceu em campo.

Uma chance, um gol

As duas equipes fizeram uma partida com muitos toques, mas sem grandes jogadas na primeira etapa. O Santos conseguia finalizar e, por isso, era melhor na partida até a parada para a hidratação, aos 30 minutos da primeira etapa. De dentro da área, Léo Baptistão teve uma cabeçada que passou muito próxima ao gol e Marinho também assustou a defesa com um chute rasteiro da direita. Além disso, Jean Mota, de fora, acertou um chute que saiu por cima da trave.

O técnico Marquinhos Santos parece ter aproveitado melhor a parada e conversou muito com sua equipe. Após isso, o Papo voltou melhor e ficou mais com a bola, porém seguia sem nenhuma finalização ao gol, até marcar o gol na primeira vez que acertou a meta.

Ricardo Bueno, um dos mais participava da conversa na pausa, foi quem abriu o placar. O centroavante subiu mais alto que a defesa santista na cobrança de falta de Guilherme Castilho, aos 44 minutos, e balançou a rede do Alfredo Jaconi.

De cabeça, mais uma vez

O Juventude voltou mais nervoso dos vestiários e três jogadores foram amarelados nos primeiros dez minutos. Por outro lado, a maior agitação rendeu ao time o segundo gol, novamente em bola parada.

Mexida no Santos

Carille fez duas mudanças aos 15: trocou Jean Mota por Pirani e desistiu dos três zagueiros sacando Boza para a entrada de Tardelli no ataque. Mas nem deu tempo para ver o que o treinador pretendia, pois aos 18 minutos, Dawhan ampliou. Castilho, em nova jogada de bola parada —dessa vez em um escanteio— bateu na medida para o meio-campista que cabeceou para o fundo da rede.

Santos cresce, porém Juventude é que amplia

Muito atrás do marcador, o Alvinegro foi com tudo para cima e voltou a ser melhor. Sanchéz, aos 27, finalizou bem após passe de Marinho. Em seguida, o meia foi desarmado pela direita e Tardelli que conseguiu a conclusão. Por fim, aos 37, Marinho conseguiu aproveitar uma sobra e assustou o goleiro Douglas.

O terceiro para fechar a conta

Mas tudo isso foi em vão. Em uma descida do Juventude, o terceiro gol dos mandantes. Castilho recebeu um passe de Capixaba na entrada da área e, completamente isolado, tocou para o fundo da rede na saída do goleiro João Paulo.

Aniversário sem festa

No dia em que completou 48 anos de idade, o técnico Fábio Carille não foi presenteado com sua primeira vitória no Santos. Pior do que isso, viu sua equipe sofrer, pela primeira vez na sua gestão, dois ou mais gols. Ele também sem comemorar sequer um gol à frente do clube, que se aproxima perigosamente da zona do descenso, ficando na 16ª colocação.

Nas quatro partidas com Carille, o Peixe ainda não balançou as redes. Neste jogo, o treinador resolveu apostar em uma formação com dois meias e dois atacantes. Algumas boas oportunidades até surgiram no primeiro tempo, mas o setor defensivo voltou a falhar na bola área, algo que persegue a equipe nas duas últimas temporadas.

Ficha técnica

JUVENTUDE 3 x 0 SANTOS
Data: 26/09/2021
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS);
Hora: 16h (de Brasília);
Árbitro: Jefferson Ferreira de Moraes (GO);
Auxiliares: Cristhian Passos Sorence (GO) e Nailton Junior de Sousa Oliveira (CE);
VAR: Wagner Reway (PB).

Gols: Ricardo Bueno, aos 45' do primeiro tempo, Dawhan, aos 18' e Guilherme Castilho, aos 38' do segundo tempo, para o Juventude.

Cartões amarelos: Vitor Mendes, William Matheus, Sorriso (JUV).

Juventude: Douglas; Michel Macedo, Vitor Mendes (Didi), Quintero e William Matheus; Dawhan, Jadson, Guilherme Castilho (Ricardinho) e Wescley (Capixaba); Sorriso (Chico) e Ricardo Bueno (Roberson). Técnico: Marquinhos Santos.

Santos: João Paulo; Danilo Boza (Tardelli), Emiliano Velázquez e Wagner Leonardo; Pará, Camacho, Jean Mota (Pirani), Carlos Sánchez (Lucas Braga) e Felipe Jonatan (Moraes); Marinho e Léo Baptistão. Técnico: Fábio Carille.

Futebol