PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

RMP: "Fla jogou muito mal. Renato precisa reavaliar uma série de coisas"

Do UOL, em São Paulo

26/09/2021 15h07

Classificação e Jogos

Em uma partida com final emocionante, América-MG e Flamengo empataram por 1 a 1 neste domingo (26), pela 22ª rodada do Brasileirão. Com um time misto, o rubro-negro abriu o placar com um golaço de Michael aos 43 minutos do segundo tempo, mas o Coelho igualou nos acréscimos. A equipe carioca desperdiçou a chance de reduzir a diferença para o líder Atlético-MG, hoje em onze pontos - vale lembrar que o Fla tem dois jogos a menos do que o Galo.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte - com os jornalistas Isabella Ayami, Renato Maurício Prado, Marluci Martins e Rodolfo Rodrigues - os comentaristas analisaram a partida e fizeram algumas ressalvas sobre a postura do Flamengo,, fruto de escolhas feitas pelo técnico Renato Gaúcho

"O Flamengo não mereceu vencer. Ia ganhando com um gol de placa do Michael, mas o time jogava muito mal. O Renato Gaúcho precisa reavaliar uma série de coisas. A principal delas, na minha opinião, é essa troca da pressão pós-perda, que o Fla fazia tão bem na época do Jorge Jesus e que chegou a fazer sob o comando do Renato. Mas agora, a cada jogo que passa, sinto que o Flamengo prefere recuar e dar campo ao adversário para contra-atacar. Isso aí não está dando muito certo e pode ter um preço alto", criticou Renato, que citou a vitória por 3 a 1 sobre o Corinthians na Neo Química Arena como bom exemplo de pressão sobre a saída de bola do adversário.

Para Marluci, um dos pontos fracos do time da Gávea foi o lado esquerdo de sua defesa, com uma atuação ruim de Renê. "A torcida do Flamengo fica bem frustrada com esse jogo. Acabou com o almoço do pessoal. Um jogo aparentemente ganho, não que merecesse. Fiquei muito impressionada, principalmente no primeiro tempo, com o que o Flamengo não jogou. Era visível que a melhor opção de ataque do América-MG era em cima do Renê, com o Ademir deitando e rolando, e o Renato nada fazia", analisou.

Já Rodrigues destacou que o plano de poupar jogadores não deu tão certo para o Fla. "O Flamengo não estava com seus titulares e o resultado acabou sendo justo. O Renato Gaúcho, quando opta por colocar um time misto, não sei se foi a melhor escolha. O jogo contra o Barcelona-EQU será só na quarta e o Flamengo tinha a chance de diminuir essa distância para o Atlético-MG. O time desperdiçou essa chance. Poderia se recuperar depois da derrota para o Grêmio, mas ficou só no empate", disse, citando o triunfo gremista por 1 a 0 no Maracanã.

Na opinião de Marluci, Renato Gaúcho poderia ter levado nomes como Gabigol e Everton Ribeiro para ficar no banco. "Achei também muito arriscada essa opção do Renato não levar alguns jogadores para ter mais opções ali no banco. A estratégia dele quase deu certo, muito mais por sorte e por um lance espetacular não só do Michael como do Pedro, que foi muito inteligente no lance. O resultado não é uma catástrofe, mas é bem ruim, porque se o Flamengo vencesse o jogo, e esteve perto disso, dependeria somente de si", avaliou a colunista.

As mudanças de Renato Gaúcho comprometeram um setor nevrálgico da equipe, na visão de Rodrigues. "O Flamengo sentiu falta de entrosamento, principalmente ali no meio-campo. Ficaram três volantes por ali, com Arão, Thiago Maia e Diego. O Vitinho foi mal no primeiro tempo; o Michael entrou e deu uma melhorada na equipe, que quase venceu na boa jogada que ele fez", observou.

Renato chamou a atenção para algumas opções do treinador e demonstrou algum receio. "O Flamengo deixou escapar três pontos importantíssimos, que o ajudariam a encostar no Atlético-MG e a ficar em uma posição de vantagem contra o Palmeiras se ganhar os dois jogos que faltam. Continua tudo como estava porque o Atlético-MG empatou e o Palmeiras perdeu. Não é um desastre, mas é aquela coisa de 'puxa, perdi a oportunidade'. Há algumas mudanças que o Renato começa a fazer que são preocupantes", completou.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol