PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2021

CBF vai esticar Brasileirão por causa da seleção e agora discute como

Taça do Brasileirão feita pela CBF - Lucas Figueiredo/CBF
Taça do Brasileirão feita pela CBF Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Igor Siqueira e Rodrigo Mattos

Do UOL, no Rio de Janeiro

25/09/2021 04h00

Classificação e Jogos

A data Fifa esteve sempre ali, mas agora, diante da convocação de jogadores para a seleção brasileira e outros desfalques gerados pelas partidas das Eliminatórias, a CBF se mobiliza para desenhar como será o adiamento dos jogos do Brasileirão. Na entidade, a decisão de esticar o Brasileirão para depois de 5 de dezembro já está tomada.

A diretoria de competições se debruça sobre como arrumar a reta final do calendário nacional de 2021. A proposta é acelerar as discussões internas para na segunda-feira (27) divulgar a atualização da tabela. Alongar a Série A só foi possível diante do sinal da Fifa de que não fará mais o Mundial de Clubes em dezembro, mas, sim, provavelmente, em fevereiro.

Por estarem vivos em três competições, Atlético-MG e Flamengo demandam um exercício mais elaborado. Eles cederam Guilherme Arana, Everton Ribeiro e Gabigol para a lista de Tite e podem chegar à final da Copa do Brasil e da Libertadores. Outro semifinalista da competição sul-americana com convocados é o Palmeiras, que também cede jogadores às seleções nas datas Fifa, como o goleiro Weverton. O caso do Internacional do volante Edenílson é relativamente mais simples, já que a única disputa no momento é o Brasileirão.

Para a data Fifa de outubro, os jogos afetados pela seleção brasileira são:

24ª rodada: Ceará x Internacional; Chapecoense x Atlético-MG; Bragantino x Flamengo; América-MG x Palmeiras

25ª rodada: Atlético-MG x Ceará; Fortaleza x Flamengo; Palmeiras x Bragantino; Internacional x Chapecoense

26ª rodada: Flamengo x Juventude; Atlético-MG x Santos; Internacional x América-MG; Bahia x Palmeiras

Quanto aos demais jogos, a CBF avalia se fará um adiamento mais amplo, suspendendo o calendário nacional todo — até porque há outros times que também perdem jogadores convocados, mas não para a seleção brasileira. O Athletico é um deles. David Terans está na mesma seleção uruguaia que Arrascaeta, do Flamengo. O Grêmio tem Borja na Colômbia e Villasanti no Paraguai, onde se encontra com o palmeirense Gustavo Gomez e o atleticano Junior Alonso.

Olhando para o curso atual do campeonato e desconsiderando os adiamentos já prometidos, o Flamengo tem dois jogos a menos que Palmeiras e Atlético-MG. Esses dois também têm um jogo atrasado a cumprir, no começo de novembro.

O cenário de momento no calendário, após o reajuste feito em setembro, tem os dois jogos da final da Copa do Brasil em 8 e 12 de dezembro, já após a data inicial para conclusão da Série A. Com a decisão de esticar o Brasileirão, a CBF tem a prerrogativa também de empurrar esses jogos para mais adiante.

Se mantiver a final da Copa do Brasil onde está hoje e colocar rodadas da Série A para depois dela, vai acabar "segurando" muitos clubes em atividade sem necessidade. A entidade já entendeu que a estratégia menos danosa no momento é encerrar a temporada com a Copa do Brasil.

De todo modo, o impacto no período de férias e pré-temporada fica inevitável. O período de preparação para 2022 ficará reduzido porque a CBF não pode postergar o início das competições, já que precisa encerrá-las no começo de novembro: é ano de Copa do Mundo. Os estaduais continuarão com 16 datas. Há uma data Fifa começando em 24 de janeiro — logo, quem está na seleção não pode se dar ao luxo de alongar muito a pausa. Para completar, o Mundial de Clubes, em fevereiro, provavelmente vai envolver um clube brasileiro.

A ideia da CBF é publicar o calendário do ano que vem no começo de outubro. Mas, primeiro, ela precisa resolver a embolação no 2021 que ainda está diante de si.