PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Vasco bate 130 mil contas com o BMG e valoriza aumento de receita variável

Nenê em ação pelo Vasco contra o CRB na Série B - Rafael Ribeiro/Vasco
Nenê em ação pelo Vasco contra o CRB na Série B Imagem: Rafael Ribeiro/Vasco

Igor Siqueira

Do UOL, no Rio de Janeiro

23/09/2021 11h58

O Vasco contabilizou em setembro a marca total de 130 mil contas digitais abertas na parceria do clube com o BMG. O projeto começou em 2019, mas a diretoria aponta um crescimento do produto em 2021, algo que é estratégico para aumentar a rentabilidade da verba de patrocínio na temporada.

Pelos dados do Vasco, entre janeiro e setembro de 2020, o número de contas criadas ficou em 28.872. Olhando para o mesmo período de 2021, 79.469 torcedores se tornaram clientes do Vasco BMG, de acordo com o levantamento mais recente.

O Vasco ganha percentual a cada conta aberta na instituição financeira e contabiliza uma geração de aproximadamente R$ 200 mil por mês, além do valor de patrocínio fixo, fruto da exposição do BMG no uniforme.

Para exemplificar o ritmo de crescimento, em março, o Vasco BMG tinha 50 mil contas digitais. Em 13 de julho, houve o anúncio de que a marca de 100 mil tinha sido batida. Agora, após um período aproximado de dois meses e meio, o número de novas adesões ficou na casa dos 30 mil, batendo os 130 mil.

A diretoria acredita que os números são reflexos da criação da área de pós-venda dentro de departamento de marketing e novos negócios, além de um melhor relacionamento com o BMG.

"A criação dessa área tinha como objetivo potencializar as parcerias do clube que já existiam. Todas elas tinham objetos de remuneração variável que não eram ativados pelo clube, infelizmente. A gente espera chegar em uma remuneração variável neste ano que aumente o contrato em torno de 40%, o que é um passo para esse novo modelo de patrocínio, no qual o fixo não vem sozinho. O fixo vem com o variável derivado da ativação e do engajamento da torcida", disse Vitor Roma, vice-presidente de marketing e novos negócios do Vasco.

O contrato com o BMG tem vigência até 2023 e prevê o recebimento de R$ 5 milhões por ano. Segundo nota explicativa do Vasco no balancete do primeiro semestre, "o BMG pagou, em 2020, o valor integral do patrocínio devido em 2021". Logo, a geração de receita variável agora ajuda a desafogar o fluxo de caixa vascaíno. O Vasco ainda aponta que as receitas de patrocínios em marketing relativas ao primeiro semestre deste ano atingiram R$ 7,1 milhões.

Vasco