PUBLICIDADE
Topo

Athletico

Atacante do Athletico Paranaense quase fez São Paulo ir à Fifa

Guilherme Bissoli é formado na base do São Paulo, mas deixou o clube em 2019 - Robson Mafra/AGIF
Guilherme Bissoli é formado na base do São Paulo, mas deixou o clube em 2019 Imagem: Robson Mafra/AGIF

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

23/09/2021 04h00

Classificação e Jogos

Autor de seis gols em 10 jogos pelo Athletico Paranaense, o atacante Guilherme Bissoli é uma das armas do time que inicia a disputa por uma vaga na final da Copa Sul-Americana hoje (23), contra o Peñarol. Mas, nas idas e vindas do mercado a bola, o jogador, que pisará no campo do estádio Campeón del Siglo a partir das 21h30 (de Brasília), poderia estar bem distante do Rubro-Negro, ou até ter gerado multa ao clube.

A polêmica envolvendo Bissoli teve início em 2018. Depois de se destacar nas categorias de base do São Paulo, o jogador subiu ao principal sob indicação de Dorival Júnior e debutou na equipe. Mas surpreendeu a todos ao recusar negociar renovação de vínculo. O motivo seria um pré-contrato com o próprio Athletico Paranaense.

Porém, a legislação do futebol brasileiro garante ao clube formador o direito de igualar ofertas de outras equipes neste tipo de caso, quando se trata de primeiro vínculo profissional.

"Se um clube oferece um valor, o formador pode igualar ou cobrir a oferta e aí o jogador é obrigado a ficar, a não ser que uma indenização seja paga. Tivemos isso com o Athletico. Ficamos equiparando a proposta e, como não pagaram a indenização, ele não foi para lá", disse o gerente-executivo de futebol do São Paulo, Alexandre Pássaro, em 2020.

O contrato acabou, e Bissoli foi registrado, em 2019, no Fernando de la Mora, que disputa divisões inferiores do futebol paraguaio, mas é ligado a empresários brasileiros. Neste caso, não há irregularidades já que a legislação que se aplicaria ao Athletico não vale para clubes de outros países.

Mas no ano seguinte, Bissoli apareceu no Rubro-Negro, para surpresa são-paulina. O vínculo inicial era por empréstimo, levantando suspeitas de que houve uma triangulação para que o jogador atuasse no Furacão sem necessidade de pagamento de multa.

Até o início de 2020, o São Paulo cogitava procurar a Fifa para ser ressarcido, mas acabou não precisando agir de forma mais dura. Depois de uma negociação entre as partes ao longo do ano passado, 20% dos direitos econômicos do atleta de 23 anos foram repassados ao Tricolor e tal atitude evitou ação mais drástica.

Após marcar nove gols e dar duas assistências na temporada passada, Bissoli começaria 2021 em um novo clube. O jogador foi cedido ao Cruzeiro. Mas depois de 11 jogos, com um gol e uma assistência, foi chamado de volta a Curitiba. A lesão de Matheus Babi fez o Athletico solicitar seu regresso no início de agosto.

Deste então a fase se mostra positiva. Com boa média de gols e participações, o jogador, cujo vínculo vai até o fim de 2023, tem sido importante na equipe que mira vaga na final da Sul-Americana.

Athletico