PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Artilharia aérea volta a funcionar e põe Flamengo mais perto da final

Bruno Henrique faz primeiro gol do Flamengo na partida contra o Barcelona-EQU - Thiago Ribeiro/AGIF
Bruno Henrique faz primeiro gol do Flamengo na partida contra o Barcelona-EQU Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

23/09/2021 04h00

Classificação e Jogos

Em uma noite de jogo coletivo longe de ser brilhante, o Flamengo tratou, ainda assim, de aproveitar suas melhores armas para, bater o Barcelona (EQU) por 2 a 0, no Maracanã, e ficar mais perto da final da Libertadores.

Herói da noite, Bruno Henrique, autor dos dois gols da equipe, aproveitou passe milimétrico de Gabigol para cabecear e abrir a contagem em um jogo que estava enroscado. A bola alta, que já foi um tormento defensivo em outros tempos, tornou-se uma das grandes qualidades do time sob o comando de Renato Gaúcho, que já marcou 13 vezes pelo alto.

O camisa 27 é o grande nome rubro-negro neste tipo de jogada, já que anotou cinco vezes por cima com o treinador. Além de abrir caminho para o triunfo de ontem, Bruno havia feito diante de São Paulo, Corinthians, Sport e Olimpia (PAR).

"O Gabriel é excepcional, temos uma sintonia muito boa. Essa jogada é uma das nossas melhores, já fizemos vários gols com ele me lançando a bola assim", disse o atacante, que acrescentou:

"Em todas as competições que entro, dou o meu melhor. Sou agraciado na Libertadores. Fico feliz, isso é fruto do trabalho e espero continuar trabalhando, dando o meu melhor".

O artifício do time de Renato também funcionou contra Defensa y Justicia-ARG (Rodrigo Caio e Arrascaeta), ABC-RN (Gabigol), Corinthians (Gustavo Henrique), Olimpia-PAR (Gabigol), e Grêmio (Michael e Pedro). Em 18 jogos com o técnico, o time marcou 52 vezes.

O resultado em casa foi muito festejado por todos no clube, mas ficou uma ponta de frustração pelo fato de o time ter jogado praticamente um tempo inteiro com um jogador a mais e não ter conseguido ampliar. Mesmo com a vantagem numérica e atuando em casa, os rubro-negros cederam muitas chances aos equatorianos e devem boa parte do placar à atuação de Diego Alves.

Dono de um estilo de jogo que não nega um duelo "lá e cá", o Fla viu os visitantes chegarem muitas vezes em condições de anotar e teve na qualidade individual o seu grande trunfo.

"As críticas são válidas, assim como os elogios. Estou há muito tempo nessa profissão, eu busco sempre o melhor para o clube. Às vezes vou errar, sou humano, mas procuro fazer o que é certo", afirmou o comandante.

Dividido em três frentes, o Flamengo deixa o sonho continental um pouco de lado para voltar as atenções pelo tricampeonato do Brasileiro. No domingo (26), o time visita o América-MG, às 11h, no Independência. Hoje (23), o elenco se reapresenta e treina no Ninho do Urubu a partir das 14h30.

Flamengo