PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Trajano: Palmeiras e Galo foi um jogo horroroso, futebol não foi convidado

Do UOL, em São Paulo

22/09/2021 11h10

Classificação e Jogos

A primeira semifinal entre Palmeiras e Atlético-MG na Libertadores decepcionou a todos que colocavam grande expectativa para o jogo no Allianz Parque, com o placar de 0 a 0 e raras oportunidades de gol criadas pelos dois times, apesar de um pênalti perdido pelo Galo, com Hulk cobrando na trave, e a crítica pelas atuações ficou para os técnicos.

No UOL News Esporte, José Trajano critica a estratégia montada pelos treinadores, principalmente pelo português Abel Ferreira, considerando que ele armou o time do Palmeiras de forma covarde para fazer o primeiro jogo do confronto em casa, considerando o elenco que ele tinha para mandar a campo.

"Estratégia no futebol é para ganhar, quando você tem um time com um elenco como o Palmeiras e jogando em casa. 'Ah para não tomar gol em casa'. Olha, para o Palmeiras, com esse elenco, com jovens, com reservas à altura que você pode trocar, quando entrou o Felipe Melo eu falei 'já entendi tudo'. Já entendi tudo com a presença do Felipe Melo, que era para segurar ali atrás e provocar o Hulk e o Diego Costa", diz Trajano.

"Foi um jogo horroroso, o futebol não foi convidado ontem à noite lá no Allianz Parque, não convidaram o futebol, eu fiquei muito chateado, porque eu fiz até um comentário, aquele comentário semanal que faço no UOL, dizendo que tinha enorme expectativa em relação a esse jogo, porque reunia dois dos três melhores times brasileiros, que fazem uma campanha legal no Campeonato Brasileiro, que têm jogadores de peso, jogadores importantes, mas quem atrapalhou, os jogadores não atrapalharam, os treinadores atrapalharam o jogo, principalmente o Abel, montando o Palmeiras daquela maneira", completa.

O jornalista considera que o jogo anulou os atacantes e espera que o jogo da volta, no Mineirão, seja diferente, já que terá a definição do primeiro finalista na edição atual da Libertadores.

"Eu fico impressionado, um time como o Palmeiras, jogando em casa, não dar um chute para o gol, não dar um chute para o gol. É ridículo. Então, a nossa decepção é porque a gente gostaria de ver o futebol em campo, não houve futebol ontem, vamos esperar pelo jogo de volta, o jogo de volta tem tudo para ser melhor, afinal de contas, será o jogo decisivo para ver quem vai para a final, mas que foi um jogo vergonhoso, covarde, isso foi", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol