PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Médico da FGF defende volta de torcida aos estádios e aumento de cota

Alfredo Jaconi (foto), Arena do Grêmio e Beira-Rio já têm autorização estadual para receber público - Staff Images
Alfredo Jaconi (foto), Arena do Grêmio e Beira-Rio já têm autorização estadual para receber público Imagem: Staff Images

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

22/09/2021 04h00

Classificação e Jogos

O Governo do Rio Grande do Sul já publicou decreto que libera retorno de público aos estádios, mas Arena do Grêmio, Beira-Rio e Alfredo Jaconi seguem com portões fechados por causa do acordo entre os clubes do Campeonato Brasileiro. Nos bastidores, os clubes e a FGF (Federação Gaúcha de Futebol) negociam com as autoridades públicas uma revisão no número máximo de torcedores na retomada de presença de torcida nos jogos. De acordo com Paulo Petry, médico da FGF, os índices da pandemia e o ritmo da vacinação permitem uma cota maior de espectadores.

O decreto estadual em vigor libera até 2,5 mil pessoas nos estádios, com até 40% de capacidade de cada setor. Em duas rodadas da Divisão de Acesso do Gauchão, as partidas receberam até 800 torcedores naquilo que a FGF definiu como evento-teste.

"A grande preocupação foi não aglomerar, aplicar o distanciamento e uso de máscara durante 100% do período. Os ingressos foram vendidos ou distribuídos de forma online para não haver concentração de público. Nós temos visto poucos casos entre atletas e também nestes eventos-teste o relato é de zero casos", disse Paulo Petry, mestre e doutor em epidemiologia e professor da UFRGS, ao UOL Esporte.

Petry faz parte de da Comissão de Medicina e Saúde da FGF. O grupo realizou painel virtual na terça-feira (21), no YouTube e Facebook da federação, com o tema "Esporte e Pandemia: testes de diagnóstico e vacinas em atletas".

Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, o Rio Grande do Sul registrou 311 novos casos de covid-19 na segunda-feira (20). A média móvel de infecções nos últimos sete dias é de 1.341 registros. Ontem, foram registrados 10 óbitos em decorrência da doença. Nos últimos sete dias, foram 21 mortes por causa do novo coronavírus no estado, segundo a média móvel do órgão estadual.

Outro número, também divulgado pelo governo estadual, anima bem mais os organizadores do futebol no estado. Segundo o painel de monitoramento do Rio Grande do Sul, 92% da população vacinável já recebeu pelo menos a primeira dose (ou dose única). E 56,3% já está com o esquema vacinal completo.

"Em função do estágio avançado da vacinação, a gente entende que é possível voltar com público nos estádios. Com aumento progressivo de público", comentou Petry.

Grêmio, Internacional e Juventude vão se reunir com os demais 17 clubes da Série A do Brasileirão em 28 de setembro para discutir a volta de público aos estádios. A ideia, no Rio Grande do Sul, é aumentar a cota de pessoas nas arquibancadas logo.

"Nós entendemos como um começo, um pontapé inicial. E com isto, ver como as coisas vão evoluir. Certamente, para o ano que vem, com aumento no percentual de vacinados, isso pode ir mudando. Vamos aumentar a capacidade liberada. Concordo que para estádios de primeira divisão o número é pequeno", declarou o médico da FGF.

A ideia dos clubes, com apoio da FGF, é fazer com que o Governo do Rio Grande do Sul libere número percentual e não quantidade absoluta. Ou seja, o volume pode variar de acordo com a capacidade do estádio.

"Vamos ter que avançar para um percentual maior de público no estádio. O percentual vai gerar número absoluto diferente, claro", apontou Paulo Petry.

Futebol