PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2021

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Culpa do Palmeiras? Colunistas dizem por que jogo com Galo foi tão ruim

Palmeiras e Atlético-MG fizeram um jogo aquém do esperado e não saíram do 0 a 0 no Allianz - Conmebol
Palmeiras e Atlético-MG fizeram um jogo aquém do esperado e não saíram do 0 a 0 no Allianz Imagem: Conmebol

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

22/09/2021 11h55

Resumo da notícia

  • Colunistas do UOL tentam explicar por que Palmeiras x Galo foi tão ruim
  • "Por causa da covardia do Palmeiras", analisa o blogueiro Milton Neves
  • "Porque só um time quis vencer e o outro só não quis perder", diz Juca
  • Julio Gomes: "Jogo foi ruim porque Abel é muito bom em anular adversários"
Classificação e Jogos

Palmeiras e Atlético-MG decepcionaram na primeira partida da semifinal da Copa Libertadores, disputada na noite de ontem (21), e não saíram de um empate sem gols no Allianz Parque. A expectativa de 'grande jogo' não se concretizou, e o que se viu em campo foi um futebol muito aquém do esperado.

Por que o jogo entre as equipes foi tão ruim? Fizemos essa pergunta aos colunistas do UOL Esporte, que, no geral, citaram a covardia do Palmeiras como principal motivo. Veja as respostas:

Pelo momento atual das equipes e o elenco estrelado do Galo, o feito da retranca de Abel é até mais difícil. Se entrasse de guarda aberta, corria o risco de ser golpeado. Optou pela cautela e não conseguiu encaixar contra-ataques. O time mineiro criou pouco, amarrado pela estratégia palmeirense. Ninguém pareceu entrar em campo a fim de decidir o duelo em São Paulo. Apesar de péssimo para quem assistiu e gosta de futebol bem jogado, o resultado em si não foi ruim para ninguém.
ALICIA KLEIN

O gol "qualificado" precisa acabar também na Libertadores. Isso virou um desserviço ao jogo e álibi para treinadores não se arriscarem nos jogos em casa. Abel Ferreira levou isso ao extremo e Cuca, com a possibilidade de decidir em casa com torcida, também não pagou para ver, embora o Galo tenha dominado o jogo em São Paulo.
ANDRÉ ROCHA

O jogo foi ruim por conta do excelente sistema defensivo do Palmeiras e da falta de jogo ofensivo das duas partes. O Atlético-MG mostrou pouco recurso para sair do ferrolho, e o Alviverde quase nem quis atacar.
DANILO LAVIERI

Porque só um time quis vencer e o outro só não quis perder. Dar espetáculo é coisa secundária para certos treinadores que só pensam em resultados. Com o que o futebol europeu ganha cada vez mais adeptos por aqui.
JUCA KFOURI

O jogo foi ruim porque Abel é muito bom em anular adversários. Mas não tão criativo para fazer o time dele jogar.
JULIO GOMES

Palmeiras entrou com o regulamento debaixo do braço, aliás um dos motivos que deve fazer a Conmebol acabar com a regra do gol qualificado: o time que manda o primeiro jogo eliminatório em casa se dá bem se não leva gol e muitas vezes opta por se defender mais do que atacar. Qualquer empate com gols na partida de volta agora classifica o Palmeiras, que deve abusar do contra-ataque no Mineirão. O Atlético-MG de Cuca não soube se impor contra o rival mais recolhido, o que fez o jogo ficar sem graça.
MARCEL RIZZO

Foi ruim por causa da estratégia usada por Abel: terminar o jogo sem sofrer gols. Só deu certo porque Hulk errou um pênalti. E ainda tem quem defenda essa opção de Abel. Gol qualificado é muito ruim.
MENON

Por causa da covardia do Palmeiras. Baixou o espírito de Milton Buzetto, o "Rei da Retranca", em Abel Ferreira.
MILTON NEVES

Por medo das duas equipes de dar espaços para um adversário perigoso e de, consequentemente, perder. O Galo teve um pouco de coragem, por isso foi melhor.
PERRONE

Os dois técnicos se preocuparam muito mais em não perder do que tentar ganhar. Preparam seus times para destruir, não para construir. Já tinham feito isso na final da última Libertadores. E, provavelmente, farão de novo na próxima terça-feira. Lamentável ver dois times tão bons, jogando tão pouco.
RENATO MAURÍCIO PRADO

Muito pela proposta defensiva do Palmeiras de Abel Ferreira. O empate por 0 a 0 era bom para os dois e até o Atlético não forçou tanto para buscar o gol.
RODOLFO RODRIGUES

Muito em virtude de um excesso de cautela, principalmente por parte do Palmeiras, que marcou muito bem, mas na parte ofensiva ofereceu muito pouco em mais um jogo decisivo. O Galo, por sua vez, também esteve abaixo. Não foi tão agressivo como de costuma, não fez alguns movimentos de ataque à profundidade que está habituado a executar. As equipes se arriscaram pouco de uma forma geral.
RODRIGO COUTINHO

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL