PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Arnaldo: É um absurdo o Palmeiras jogar sem e o Atlético-MG com público

Do UOL, em São Paulo

21/09/2021 04h00

Classificação e Jogos

Entre os quatro semifinalistas da Libertadores, apenas o Palmeiras não terá público em seu jogo como mandante, hoje (21), às 21h30, diante do Atlético-MG, no Allianz Parque. Isso acontece dias depois de os dois clubes estarem do mesmo lado na questão contrária ao Flamengo levar torcedores ao Maracanã em seu jogo pelo Brasileirão diante do Grêmio.

No podcast Posse de Bola #162, Arnaldo Ribeiro afirma que, assim como no caso do mata-mata entre Flamengo e Grêmio na Copa do Brasil, é absurdo que o Atlético-MG possa ter público em seu jogo como mandante no Mineirão, e o Palmeiras não ter esta mesma possibilidade, considerando que é um fator que causa desequilíbrio no confronto.

"Tem outra coisa nesse duelo, vamos deixar registrado aqui, porque depois ficam falando 'você só fala quando é questão do Flamengo', a questão do público no jogo de volta do Atlético-MG é um absurdo, então, o Atlético-MG está colocando ingresso à venda. De fato, a Libertadores está assim, não tem regra e não tem pacto. Cada um põe o público que puder na sua cidade, no seu país, então, vai ter no Flamengo e Barcelona e vai ter só na volta [do jogo entre Palmeiras e Atlético-MG]. Isso é um desequilíbrio absurdo no mata-mata, assim como a gente falou em Flamengo e Grêmio", diz Arnaldo.

"É um absurdo o Palmeiras jogar sem público a primeira e o Atlético-MG jogar com público. Ninguém está falando porque é na terça que vem, mas os caras estão vendendo ingresso já. O Atlético-MG é aquela coisa 'no Brasileiro a gente fez o pacto com os outros 19, não vamos usar a liminar'. Está fazendo no mata-mata a mesma coisa que rolou em Flamengo e Grêmio, exatamente a mesma coisa. Vai ter público na volta no Mineirão e não vai ter na ida no Allianz Parque, um confronto que é tudo no detalhe", completa.

Mauro Cezar Pereira cita também a diferença de importância do jogo que o Atlético-MG poderia ter tentado colocar público no fim de semana, contra o Sport, e no confronto com o Palmeiras pela Libertadores, afirmando que a postura do clube mineiro é dissimulada.

"Qual seria a importância do público no jogo que o Atlético-MG tinha na sua tabela para essa semana que passou agora, esse final de semana? O adversário era um dos piores do campeonato. E qual a importância do público do jogo que o Atlético-MG terá contra o Palmeiras na outra terça-feira? Imensa. Então, quando eu falei aqui semana passada, e os atleticanos ficaram na bronca, falei que o Atlético-MG estava sendo dissimulado, insisto, a postura do Atlético-MG foi dissimulada", diz Mauro Cezar.

"A diferença entre Flamengo e Atlético-MG é uma, o Flamengo, tomando porrada e tudo, merecendo crítica ou não, vai da opinião de cada um, mostrou a cara, o Atlético-MG deu uma disfarçadinha. O Atlético-MG 'peguei a liminar mas não vou usar'. O que eu acho pior disso tudo, a forma como a coisa é feita, se menospreza a inteligência das pessoas. O Palmeiras deveria ir falar com o senhor governador, ver se ele revê essa questão, porque em novembro tem Fórmula 1, aí pode ter público em São Paulo, coincidência maravilhosa", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e YouTube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol