PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Evolução do time diminui frustração de Diniz com gols sofridos pelo Vasco

Do UOL, no Rio de Janeiro

20/09/2021 04h00

Classificação e Jogos

Duas vitórias que pareciam estar garantidas, mas que se transformaram em empates amargos no apagar das luzes. Foi assim na estreia de Fernando Diniz e também em seu segundo jogo pelo Vasco, na tarde de ontem, que terminou em 1 a 1 contra o Cruzeiro, em São Januário. Mas apesar do sentimento de frustração, o treinador aprovou a postura do time nesses dois compromissos. A entrega dos jogadores e intensidade colocada em campo rendeu elogios do técnico e é o que faz acreditar em dias melhores com direito a arrancada para continuar sonhando com o acesso.

Contra o Cruzeiro, o Vasco teve três grandes chances de marcar ainda no primeiro tempo. Por duas vezes, Morato parou nas excelentes defesas de Fábio. Na terceira, Nenê abriu o placar. Na etapa final, o time parecia dar sinais que o gás estava acabando, mas voltou a equilibrar a partida e a ameaçar com mais frequência. A equipe ainda chegou a marcar o segundo, mas o VAR anulou o gol de Daniel Amorim após revisão. No fim, o castigo deixou um sentimento para lá de amargo, mas não impediu Diniz de continuar sonhando com uma arrancada.

"Meu sentimento de frustração é pelo resultado. Pelo desempenho do time nos dois jogos eu não posso falar que estou frustrado, porque a equipe jogou pra vencer contra o CRB e o Cruzeiro. A gente conseguiu jogar com posse, dominando, quando precisou recuar a gente recuou e tivemos as melhores chances para fazer o segundo e o terceiro", comentou o técnico, em sua entrevista.

"A gente tem que atacar todas as frentes. Melhorar o time na parte física, técnica, tática, psicológica, é o que a gente tem feito. Parte da solução é acreditar que estamos no caminho, temos que fortalecer mais, nos unir mais em torno desse objetivo comum. Depende da gente, eu percebo que os jogadores acreditam. Vamos ter que nos esforçar o máximo", acrescentou.

Fazendo as contas

Colocando como referência os 61 pontos que o Cuiabá atingiu para ser promovido na última edição da Série B, o Vasco terá que fazer pelo menos mais 27 pontos (ou nove vitórias) para sonhar com o acesso. A conta, apesar de possível, começa a complicar quando Diniz olha para a tabela e vê que faltam mais 13 jogos, ou seja, 39 pontos. Somar 27 nos próximos 39 pontos significa ter um rendimento de 69%. Para se ter uma ideia, o líder Coritiba (48 pontos) tem hoje um aproveitamento de 66,6%.

"Eu adoro a torcida do Vasco, um dos meus maiores desejos é fazer ela sorrir de novo. Para isso acontecer o time tem que subir para a Série A, e a gente vai fazer tudo o que for possível para o Vasco subir. Eu acredito não porque sou otimista, mas porque acredito na força do trabalho, eu acredito, como hoje os jogos que tivemos muito mais chance de ganhar do que de empatar. Se a gente continuar assim a bola vai começar a entrar, e essas vitórias que estão escapando vão começar a vir pro nosso lado", concluiu o treinador.

Vale lembrar que o jogo contra o Cruzeiro abriu a 25ª rodada e, portanto, todos os outros times ainda jogarão neste meio de semana. Agora na nona colocação, o Vasco terá que secar Operário, Remo e CSA para não perder mais posições. Além disso, também terá que ficar de olho nos adversários que brigam pelo G-4. Hoje, a diferença para o CRB, quarto colocado, é de sete pontos.

Diniz lamenta empates com CRB e Cruzeiro: "Era para ter feito seis pontos"

Vasco