PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mauro Cezar: Flamengo faz bem quando desafia a CBF e critica o calendário

Do UOL, em São Paulo

17/09/2021 13h47

Classificação e Jogos

O Flamengo teve uma semana marcada pela briga nos bastidores, com a tentativa de ter público no Maracanã já na partida de domingo contra o Grêmio, possibilidade inviabilizada depois que a liminar obtida pelo Rubro-negro no STJD foi derrubada. Em seguida, a CBF anunciou a remarcação de jogos atrasados e causou um novo desconforto com os dirigentes do clube da Gávea, que reclamaram e viram a atuação como possível represália.

No podcast Posse de Bola #161, Mauro Cezar Pereira afirma que diretoria atual do Flamengo tem uma série de posições questionáveis, mas está certa no momento em que entra em rota de colisão com a CBF e o seu calendário, no momento em que o clube se vê prejudicado.

"O Flamengo quis enfrentar a CBF. Eu tenho várias restrições a Rodolfo Landim e sua gestão, várias atitudes, mas eu acho que o Flamengo faz bem quando desafia a CBF, quando vai ao tribunal do esporte na Suíça protestar contra o calendário, quando reclama e fala 'eu não concordo com isso aqui, eu estou desfalcado na data Fifa', quando não cede o Pedro para a seleção olímpica, eu acho que aí o Landim está certo e o Flamengo está certo. Está errado em uma porrada de coisas, mas aí eu acho que está certo", diz Mauro.

"Alguém tem que enfrentar a CBF e a gente tem que lembrar que esse calendário existe por causa da CBF, que esse aperto de datas é responsabilidade da CBF e o Atlético-MG prefere compor, como os paulistas compõem, como topo mundo compõe. Como o São Paulo compôs no ano passado e ganhou de presente os jogos remarcados só depois que ele foi eliminado das competições de mata-mata", completa.

Mauro Cezar reprova a decisão da CBF de já remarcar as datas sem esperar a hipótese de o Flamengo ser eliminado da Copa do Brasil antes pelo Athletico-PR na semifinal e considera que se trata de uma represália da entidade a posturas adotadas pela diretoria rubro-negra, em especial na tentativa de realizar seus jogos com público por meio de uma liminar, que foi derrubada na madrugada de ontem no STJD.

"De uma forma ou de outra, o que eles estão fazendo? É instantâneo, depois desse imbróglio todo, a CBF resolveu marcar os jogos. Claro, a CBF vai fazer isso por represália. Agora, quando um clube resolve enfrentar a CBF e criticar o calendário que a gente tanto critica, eu não posso criticar esse clube. Neste momento o Flamengo está certo, porque está peitando a CBF", diz Mauro.

"O Atlético-MG aceitou jogar? Sim, porque o Atlético-MG está compondo o tempo todo, chega a ter a desfaçatez de colocar milhares de torcedores no Mineirão para enfrentar o River Plate e depois vem com papo de fair play esportivo no Brasileiro, é uma postura altamente dissimulada", completa.

Mauro considera que seria mais correto esticar o Brasileiro para não fazer com que o clube tivesse de jogar partidas com intervalo tão curto. Ele também critica a postura dos clubes por se unirem para tentar o adiamento da rodada devido à liminar do Flamengo para ter público, mas não tomarem medida semelhante quando perdem jogadores para as seleções nas datas Fifa.

"Para mudar esse calendário só tem um jeito, é criar desconforto para a CBF, isso é uma guerra, tem que criar desconforto, empurra o calendário, joga o problema na mão da CBF e ela que se vire, como foi na pandemia, ou então a gente vai ficar a vida inteira falando 'que absurdo, o estadual tem quatro meses', e vamos sempre aceitar isso", diz Mauro.

"A união dos clubes para parar o campeonato agora nesse fim de semana por conta de o Flamengo ter torcida foi enorme, agora, união dos clubes para parar o campeonato na data-Fifa não existe. Ou seja, é uma postura subserviente e eu não posso concordar com isso", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol