PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2021

Flamengo muda estratégia após revés no STJD e aguarda conselho na CBF

Torcedores do Flamengo caminham próximos ao Maracanã - Ricardo Borges/UOL
Torcedores do Flamengo caminham próximos ao Maracanã Imagem: Ricardo Borges/UOL

Igor Siqueira e Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

16/09/2021 12h05

Classificação e Jogos

Após a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que derrubou liminar favorável ao Flamengo quanto à presença de público, o Rubro-Negro não buscará uma nova movimentação nos bastidores e vai aguardar o conselho técnico da Série A do Campeonato Brasileiro, marcado para o próximo dia 28.

O clube da Gávea pretendia ter torcida no Maracanã no próximo domingo, contra o Grêmio, baseando-se em um parecer do próprio STJD, mas entende que a nova deliberação do órgão deve ser cumprida. Por parte dos clubes que estavam no lado oposto, o sentimento é de que a firmeza em relação à ameaça de suspensão da rodada fez a diferença.

O Fla teve o retorno de público ontem (15), em duelo com o Grêmio, pelas quartas de final da Copa do Brasil. O jogo foi o primeiro dos três liberados pela Prefeitura do Rio de Janeiro como "eventos testes". Havia ainda no pacote o confronto com o Tricolor gaúcho pelo Brasileiro, que não será mais permitido, e com o Barcelona de Guayaquil, pela Libertadores, que está mantido no escopo anterior, já que a decisão do STJD não envolve torneios organizados pela Conmebol.

O efeito suspensivo concedido pelo STJD, publicado nesta madrugada, aconteceu após recurso da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e de 17 clubes, que, inclusive, ameaçaram suspender os jogos deste fim de semana caso o Rubro-Negro tivesse êxito na disputa.

A CBF entrou de forma mais contundente na discussão porque não queria "apertar o botão" para confirmar a lacuna de jogos na tabela, mas citou na peça enviada ao tribunal que "fatalmente" isso aconteceria, caso a liminar do Flamengo continuasse em vigor. O caminho de suspender a rodada foi acertado por 19 clubes no conselho técnico realizado dia 8 — a votação foi unânime e sem o Flamengo, que se ausentou do encontro.

"A gente teve que entrar porque quer proteger o alinhamento esportivo. A gente respeita o direito de cada um, dos 19 clubes e do Flamengo. Temos que olhar também o lado do torcedor, da imprensa, do respeito ao regulamento. O nosso quadro vai ser esse: proteção às competições", disse o presidente em exercício da CBF, Ednaldo Rodrigues, ao UOL Esporte.

Se ontem (15) Ednaldo recebeu Romildo Bolzan, presidente do Grêmio, a visita no dia anterior foi do presidente do Flamengo, Rodolfo Landim. De acordo com o dirigente da CBF, o cartola rubro-negro foi tratar de questões relacionadas a competições do futuro, de pautas que pudessem entrar nos conselhos técnicos. "Foi uma situação normal de um presidente", apontou.

Na decisão, Felipe Bevilacqua, auditor do Pleno do STJD e relator do processo na instância máxima da Justiça Desportiva brasileira, estabeleceu que a liminar volta a valer imediatamente no dia seguinte à reunião do dia 28. Inicialmente, o julgamento do mérito da questão estava marcado para o dia 23, mas Bevilacqua retirou o processo da pauta da semana que vem.

A expectativa é que a questão se resolva definitivamente no conselho técnico — com isso, o processo que tramita no STJD perderia objeto e nem precisaria ser julgado pelo Pleno.

A decisão

"Diante do caráter de urgência ante a possível violação à legislação federal posta e consubstanciado nas inúmeras petições e manifestações dos autos, bem como tratando-se de matéria com escopo relevante e que traduz, em análise perfunctória, probabilidade de dano de difícil ou incerta reparação com a iminente não realização da rodada deste próximo final de semana, concedo parcialmente o efeito suspensivo ativo vindicado, para o fim de afastar parcialmente os efeitos da medida liminar concedida nestes autos até a reunião do Conselho Técnico, este a ser realizada no próximo dia 28 de setembro, restabelecendo automaticamente "in totum" os efeitos ora sustados, no dia imediatamente posterior à realização da referida reunião, independentemente do resultado".