PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Willian analisa semifinal contra o Atlético-MG: 'Poder ofensivo grande'

Willian Bigode, atacante do Palmeiras, durante treino na Academia de Futebol - Fabio Menotti/Palmeiras
Willian Bigode, atacante do Palmeiras, durante treino na Academia de Futebol Imagem: Fabio Menotti/Palmeiras

Colaboração para o UOL

15/09/2021 14h45

O atacante Willian, do Palmeiras, analisou, em entrevista ao canal do Youtube Bem Posicionados, o confronto entre o alviverde e o Atlético-MG pelas semifinais da Libertadores.

"O Atlético pode ser o favorito, pelo seu momento, pela liderança. A gente sabe que é um outro momento, uma outra competição, então não tenha dúvida de que os dois times estarão com um desejo ardente de ir para a final", disse Willian.

Durante a conversa com a jornalista Yara Fantoni e o ex-atacante Luizão — que teve passagem marcante pelo próprio Palmeiras —, o Bigode ainda relembra o confronto entre as duas equipes válido pela 16ª rodada do Brasileirão.

O jogador diz que o elenco alviverde "sabe da qualidade" do Galo e que "sentiu isso no brasileiro". "É uma equipe com mobilidade, com poder ofensivo muito grande, que gosta de envolver a equipe adversária. Mas nós também temos nossas qualidades", pontua.


Um 2018 cheio de emoções para Willian

O atleta do Palmeiras ainda relembra uma série de momentos marcantes de sua carreira ao decorrer da entrevista. O ano de 2018, por exemplo, é citado por Willian como um ano de grandes emoções. Em parte porque o atacante considera a conquista do Brasileirão daquela temporada "o momento mais feliz de sua carreira", mas também devido à lesão sofrida por ele no jogo do título.

"A gente sendo campeão brasileiro, num passe em que eu dei pro Deyverson fazer o gol do título, aí no outro dia você recebe a notícia de que você teve o ligamento rompido? é difícil, conta o Bigode.

O atleta ainda relembra que, na semana posterior ao jogo, ainda estava a caminho da Academia de Futebol quando recebeu a notícia do médico. "Ele disse: 'olha, eu tenho que te dar a notícia, também não consigo segurar, realmente você rompeu seu ligamento, é um caso cirúrgico'. Então, nessa trajetória eu já comecei a chorar".

Apesar do baque, de sofrer uma das lesões mais graves de toda sua carreira após a conquista de um título, o jogador relembra o apoio dos médicos do Palmeiras, de seus amigos e de sua família como essenciais para superar o momento:

"Cheguei no CT, conversei com os médicos, eles entenderam a minha situação, de que eu já tinha comprado passagem para ir viajar. A gente ia para o casamento do Alexandre [Mattos] e depois eu ia com a minha esposa para a Disney. Aí eles falaram para eu ir, para descontrair", completa Willian.

Futebol