PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Trajano: Uma eliminação do São Paulo pode custar muito caro

Do UOL, em São Paulo

15/09/2021 12h01

Classificação e Jogos

Fortaleza e São Paulo decidem hoje (15) uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil no Castelão após o empate em 2 a 2 no Morumbi, quando o clube paulista vencia por 2 a 0 e acabou sem vantagem nenhuma para o jogo de volta. O duelo ocorre em um momento no qual o tricolor paulista vem de derrota no Brasileirão e com todo o episódio envolvendo a saída de Daniel Alves.

No programa UOL News Esporte, José Trajano cita os momentos ruins tanto de São Paulo, quanto do Fortaleza, que não vence há um mês, mas acredita que para o time do Morumbi pode ter um prejuízo maior em caso de eliminação.

"Esse jogo São Paulo e Fortaleza é o jogo mais complicado de hoje à noite, porque o São Paulo não vem bem, o Fortaleza também não vem bem, o Fortaleza que estava em um momento especial, está lá em cima ainda, mais poderia estar muito melhor no Campeonato Brasileiro, não vence há algumas semanas", diz Trajano.

"Os dois precisam dessa grana, o São Paulo precisa mais do que o Fortaleza, eu acho, eu acho que o Fortaleza, pela sua trajetória, talvez já tenha ido longe demais e se for um pouco adiante, ufa, vai pegar uma grana boa, a torcida vai ficar feliz, é um feito e tanto o Fortaleza seguir na competição. Para o São Paulo, uma derrota, não", completa.

O jornalista considera que uma derrota causaria questionamentos em relação ao trabalho de Hernán Crespo, que venceu o Campeonato Paulista, mas foi eliminado da Libertadores pelo Palmeiras e no Campeonato começou mal e agora voltou a ficar perto da zona de rebaixamento.

"O São Paulo começaria uma crise violenta, a discussão sobre o trabalho do Crespo, discussão sobre o elenco, o São Paulo depois que venceu o Campeonato Paulista só entrou em parafuso. Então, uma eliminação do São Paulo pode custar muito caro", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol