PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Menin valoriza passagem de Sampaoli e diz quem paga salários no Atlético-MG

O argentino Jorge Sampaoli chegou ao Atlético-MG em março de 2020 e deixou o clube no início desta temporada - Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG
O argentino Jorge Sampaoli chegou ao Atlético-MG em março de 2020 e deixou o clube no início desta temporada Imagem: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

Henrique André

Do UOL, em Belo Horizonte

14/09/2021 06h00

Contratado ainda na gestão de Sérgio Sette Câmara, último presidente do Atlético-MG, o técnico argentino Jorge Sampaoli ainda é assunto entre torcedores do Alvinegro. Atualmente no Olympique de Marselha, da França, o comandante levou o Galo à terceira colocação no Campeonato Brasileiro de 2020 e foi fundamental no processo de reconstrução da equipe.

Durante entrevista ao canal Breno Galante (Youtube), realizada nesta segunda-feira (13), o empresário Rubens Menin, principal mecenas do clube mineiro, falou sobre o legado do argentino que é possível ser identificado no time que hoje lidera o Brasileirão e está na semifinal da Libertadores e nas quartas da Copa do Brasil.

"Eu não falo mal do Sampaoli. Ele é um técnico muito diferente, não deixou o Atlético 'zerado', porque foi muito importante nas contratações que o clube fez no ano passado", frisou o também conselheiro grande-benemérito do clube.

"Quando o Sampaoli veio para o Atlético, a verdade precisa ser dita, ninguém queria jogar aqui. Não conseguia contratar um diretor de futebol, não conseguia contratar um técnico, o Atlético estava com uma fama muito ruim no mercado. O Hulk não teria vindo no ano passado, o Diego Costa não teria vindo no passado. O Sampaoli foi importante para essa mudança. Ele fez indicações de jogadores que estão aqui hoje, se destacando, que foram dele", acrescentou.

Ainda de acordo com Menin, Sampaoli teve grande participação nas investidas do Atlético-MG no mercado e na credibilidade que o clube alcançou com atletas de renome.

"Talvez o Sampaoli tenha sido o técnico ideal, que mudou a visão do Atlético. A partir da vinda dele, o Atlético passou a ser enxergado de forma diferente. Houve alguns imprevistos, o Sampaoli não é um cara fácil, mas fez o trabalho dele. O que o Cuca fez, e com muita competência, é pegar a base do Sampaoli e dar o jeito. O time está mais redondo, organizado, talvez tenha plantel melhor, mas o Cuca recuperou alguns jogadores que não vinham atuando muito", opinou.

Salários no Atlético-MG

Outro ponto abordado por Menin foi em relação à folha salarial do Atlético-MG, que está na casa dos R$ 13/14 milhões.

"Os salários são pagos pelo Atlético. O Atlético contrata e paga. Quando a gente fez empréstimo para o clube foi para a contratação de jogadores, todo mundo sabe disso", explicou Menin.

"Quando vendeu o Marrony [cerca de 4,5 milhões de euros], nós não recebemos nada. O nosso débito tá no fim da fila e é sem juros. Então, a gente tem muita coisa para transformar no Atlético e voltar dinheiro pra gente. Nós não estamos fazendo uma coisa de forma leviana. A gente sabe. Tem obrigações maiores. O Atlético precisou vender o Marrony, precisou abrir espaço. Nós aliviamos a folha. A gente pegou jogador que ganhava determinado valor e colocamos um de melhor nível que ganha metade", finalizou.

Atlético-MG