PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mauro Cezar: Problema do Palmeiras não é elenco, é capacidade do treinador

Do UOL, em São Paulo

14/09/2021 12h24

Classificação e Jogos

O técnico Abel Ferreira mais uma vez tem uma semana livre para trabalhar com o elenco do Palmeiras depois da derrota para o Flamengo, quando veio de duas semanas sem jogos e ainda assim não conseguiu demonstrar evolução, perdendo diante de um rival desfalcado no Allianz Parque, o que levou a questionamentos ao trabalho do treinador português e também aumentou a cobrança em relação ao elenco, já que não houve a chegada de reforços com tanto nome como as recentes aquisições de Atlético-MG, Flamengo e Corinthians.

No UOL News Esporte, Mauro Cezar Pereira afirma que o problema do Palmeiras não está no elenco e sim na capacidade de o técnico Abel Ferreira tirar o melhor deles e buscar outras formas de jogar que não apenas explorando os contra-ataques em velocidade.

"O torcedor já está bem preocupado, aqueles que não queriam enxergar isso, agora começam a perceber que o Palmeiras é dependente de um tipo de jogo que só funciona comprovadamente quando o seu adversário está em desvantagem, o Palmeiras pode jogar fechado, muitas bolas longas, muita bola esticada para os atacantes velozes. Essa é a tônica, é dessa maneira que o time consegue jogar bem", diz Mauro Cezar.

"Raramente ele reúne Scarpa, Veiga e Dudu, no próprio domingo passado ele tira o Veiga e coloca em campo o Scarpa, ou seja, ele não gosta muito aparentemente da ideia de ter os três meias, que são jogadores criativos, que se tivessem mais entrosamento, fossem treinados para isso, o Palmeiras tem bons jogadores para trabalhar como volantes no 4-2-3-1, que ele adota em muitos momentos, mas esses caras não têm entrosamento, o time não propõe esse tipo de jogo. Ainda acho que não é por falta de capacidade dos atletas, acho que é por falta de capacidade do treinador, que é muito bom em um tipo de jogo, mas isso não basta", completa.

O jornalista cita que a característica de jogo do treinador foi suficiente para a conquista de títulos da temporada passada, mas não tem mais funcionado em jogos importantes, com os resultados, do Mundial de Clubes, da Copa do Brasil, da Recopa Sul-Americana e da Supercopa do Brasil, além do Campeonato Paulista, apontando como agravante o tempo de trabalho que não tem rendido, o que era apontado como justificativa pelos jogos ruins da temporada anterior.

"Abel Ferreira desta vez tem tido períodos longos de treinamento que poucos técnicos têm no Brasil, essa semana, por exemplo, tem Copa do Brasil, o Palmeiras já foi eliminado, então tem uma semana para treinar e cada semana de treinos você não percebe evolução, não encontra nada. Me parece que não é que ele não queira, é claro que ele quer, imagino que ele queira fazer alguma coisa a mais, mas ele não consegue, ele não consegue fazer o time trabalhar de outra forma. Na temporada passada a desculpa era sempre a falta de tempo e de fato eram muitos jogos encavalados porque o time foi sobrevivendo em todas as competições, desta vez não", diz Mauro Cezar.

"Foi eliminado precocemente no mata-mata da Copa do Brasil, passou a ter períodos longos de treinamento, teve agora uma data Fifa com jogos remanejados e se preparou tremendamente para esse jogo com o Flamengo, o Flamengo tinha uma série de desfalques ainda perdeu o Arrascaeta com 22 minutos de jogo no primeiro tempo e ainda assim o Palmeiras não foi capaz de se impor e acabo sendo derrotado por 3 a 1 diante de um adversário mutilado. É uma temporada muito estranha para um time campeão da Copa do Brasil, campeão da Libertadores e com um bom elenco sim, mas como os resultados são ruins, começam a questionar o elenco", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol