PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Clubes articulam adiamento da rodada do Brasileiro após decisão do STJD

Flamengo tem liminar para volta do público no Maracanã, gerando forte reação dos concorrentes - Staff Images
Flamengo tem liminar para volta do público no Maracanã, gerando forte reação dos concorrentes Imagem: Staff Images

Caio Blois, Danilo Lavieri, Igor Siqueira, Jeremias Wernek e Leo Burlá

Do UOL, em Porto Alegre e no Rio de Janeiro

14/09/2021 19h12Atualizada em 14/09/2021 22h18

A 21ª rodada do Campeonato Brasileiro corre risco de ser adiada. Hoje (14), logo após o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) negar pedido para derrubar liminar que autoriza o Flamengo a mandar partidas com presença de torcida, os outros 19 times da Série A iniciaram articulação nos bastidores para pedir a suspensão dos jogos do final de semana. O argumento é o desequilíbrio técnico em favor do Fla, que recebe o Grêmio no domingo (19), no Maracanã.

A possibilidade já havia sido discutida no Conselho Técnico extraordinário do Brasileirão, no início do mês. O amparo legal para a ideia está em texto divulgado pela CBF após encontro com 19 times da primeira divisão do Brasileirão: "Por fim, caso os clubes sinalizem com a utilização de liminar para contar com público nos estádios, a CBF irá analisar juridicamente a questão, uma vez que interfere na esfera de direito de terceiros adquirentes de propriedades comerciais da competição."

Nos bastidores, o tom é de grande irritação com a manutenção da liminar que libera a torcida do Flamengo nos estádios. Embora as conversas para adiar a rodada ainda sejam preliminares, a maioria dos clubes já sinalizou apoio à ideia de boicote aos jogos programados para os dias 18, 19 e 20 de setembro.

Em um primeiro momento, existem núcleos dentro do grupo que demonstram diferentes níveis de otimismo em relação ao adiamento. Uma ala considera "muito provável" e "hipótese real", mas outra ainda busca maiores detalhes práticos do plano, como encaixe para datas. Esse movimento em bloco, que começou numa reunião do comitê da qual o Flamengo não participou, já havia resultado em uma ação contra o Rubro-Negro protocolada no STJD.

Existe o componente comercial para ser ponderado. Detentora dos direitos de transmissão, a Globo tem contratos individuais com os clubes e teria sua grade —em TV aberta e fechada — seriamente afetada. Isso sem mencionar a venda de pacotes de pay-per-view. A Globo aguarda os desdobramentos do movimento para se posicionar sobre o possível adiamento dos jogos da 21ª rodada.

Além do Grêmio, adversário do Flamengo nesta quarta-feira (15), pela Copa do Brasil —já com público no Maracanã, por sinal—, e no domingo pelo Brasileirão, o Palmeiras é um dos times mais incomodados com a liminar mantida. Bahia, Corinthians e Fluminense também estão na linha de frente das articulações, no momento.

O Conselho Técnico do Brasileirão, composto pelos clubes, havia estabelecido que a presença de torcedores nos estádios estaria condicionada à liberação para todos seus 20 integrantes.

Em agosto, o Flamengo foi à Justiça para tentar assegurar a presença de público em seus jogos. Horas depois do anúncio, o Palmeiras manifestou publicamente sua contrariedade com essa iniciativa. A cúpula do clube entende que seguir as orientações dos órgãos públicos de saúde de cada localidade seria uma condição básica e descumprir o combinado deve ferir a credibilidade do campeonato.

Ao UOL, o Flamengo afirmou que não vai se posicionar sobre essa articulação dos demais clubes da Série A.

Futebol