PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Keno perde brilho, fica em segundo plano, mas quer retomada no Atlético-MG

Keno foi artilheiro do Galo no ano passado, mas nesta temporada perdeu espaço por concorrência e lesões - Pedro Souza/Atlético-MG
Keno foi artilheiro do Galo no ano passado, mas nesta temporada perdeu espaço por concorrência e lesões Imagem: Pedro Souza/Atlético-MG

Do UOL, em Belo Horizonte

11/09/2021 04h00

Classificação e Jogos

O ano de 2020 teve os holofotes atleticanos voltados para Keno, que foi destaque com 11 gols e dez assistências. Se no ano passado o atacante estava em alta com o técnico Jorge Sampaoli, a história nesta temporada é outra. Reserva, o camisa 11 deseja recuperar o espaço agora comandado por Cuca.

Keno terminou a temporada passada com uma lesão no cotovelo e iniciou este ano também machucado, com uma contusão na coxa esquerda, que o tirou de combate por mais de um mês. Dois problemas que influenciaram negativamente para a sequência do jogador.

"Fiquei 40 dias fora, sei que isso me prejudicou. Sei que não posso colocar a lesão como desculpa, mas ficar 40 dias sem jogar e voltar quando seus companheiros já estão muito à frente de você. Quando você fica bastante tempo parado, perde muito na forma física. Não é que você engordou, mas é ritmo de jogo. Então, quando tem uma folga e você pode ficar em casa ou treinar, prefiro treinar. Prefiro treinar para ajudar os meus companheiros e, quando o Cuca precisar, eu estar à disposição", disse", analisou.

Neste ano, Keno atuou até aqui em 23 partidas, com dois gols e uma assistência. Números bem aquém dos apresentados em sua primeira temporada com a camisa alvinegra.

"Eu fico triste comigo mesmo, porque ano passado tive um excelente ano, e este ano não pude mostrar para os meus companheiros e os torcedores [um bom desempenho]. Mas eu fico tranquilo, porque quem entrou deu conta do recado. Eu me cobro muito", comentou.

Agora com 32 anos, completados ontem (10), Keno, com sua vivência e rodagem no futebol, sabe que tem concorrência grande no elenco preto e branco. Só para o setor ofensivo são mais sete postulantes: Hulk, Diego Costa, Vargas, Savarino, Sasha, Sávio e Echaporã.

"Uma hora, as coisas vão mudar. E, quando mudarem, vou ser feliz com meus companheiros, para poder comemorar junto, do banco ou jogando, porque o grupo é o que mais importa. Estou voltando e que eu possa estar pronto para quando o Cuca precisar, eu estar à disposição dele", comentou.

Atlético-MG