PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Weverton curte titularidade na seleção e põe em prática aprendizado do Hino

Weverton, goleiro da seleção brasileira - Lucas Figueiredo/CBF
Weverton, goleiro da seleção brasileira Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Gabriel Carneiro

Do UOL, em Recife

08/09/2021 19h44

Bem antes de perfilar em campos de futebol com a camisa da seleção brasileira, Weverton foi um aluno que precisava exercitar o patriotismo por meio do Hino Nacional na escola. Titular nos jogos pelas Eliminatórias, o goleiro tem curtido as oportunidades em campo em uma posição tão concorrida e a chance de colocar em prática o que aprendeu na fila da escola.

"Feliz com a oportunidade, acho que é um orgulho muito grande. Hoje antes de vir treinar estava tomando banho e pensando que tem algumas sensações que temos e precisamos valorizar na vida. Quando eu era criança e ia para a escola era ensinado a cantar o Hino Nacional, fazíamos isso com orgulho. Hoje vestir a camisa da seleção e cantar representando milhares de torcedores não tem preço, alegria e satisfação enormes. Entrar em campo, ouvir o hino e representar milhões faz pensar que todo o esforço e dedicação valeu a pena. Quero fazer meu melhor em campo e desfrutar, porque é um momento muito especial', disse o goleiro da seleção.

Por mais que tenha se consolidado como um dos três goleiros preferidos de Tite, Weverton ganhou sequência nesta data Fifa por causa da ausência de Ederson e Alisson, que não foram liberados por Manchester City e Liverpool, respectivamente. O técnico da seleção já repetiu algumas vezes que a adversidade serve para apimentar uma disputa sadia por espaço na seleção. Para os goleiros, não é diferente.

"Todo mundo sabe o quanto é concorrido, não só na posição de goleiro, mas todos os setores da seleção. Sempre que se tem oportunidade precisa fazer o melhor, seja agora jogando ou antes sem jogar, mas agregando coisas boas aqui dentro e fazendo bons treinamentos para dificultar para os meus companheiros. Seja jogando, seja só no treino, meu papel é desfrutar desse momento. Aí cabe à comissão que faz um excelente trabalho de observar quem está no melhor momento e decidir. Poder estar sempre nessa disputa sadia por um lugar na convocação é sempre muito prazeroso", comentou Weverton.

A preparação para o jogo contra o Peru tem um gosto diferente por causa da interrupção da partida contra a Argentina, domingo (5), na Neo Química Arena. A ansiedade aumentou e o foco é não se prender à frustração pela transformação do clássico em São Paulo em um treino para convidados.

"Tudo isso já ficou para trás desde que saímos de São Paulo após o jogo, o assunto não pertence mais a nós. Cabe a nós focar no jogo contra o Peru, a equipe está toda preparada, sabendo da nossa responsabilidade e do nosso compromisso para performar bem e se Deus quiser sair com a vitória", avaliou o goleiro de 33 anos e destaque do Palmeiras.

Mais respostas de Weverton

ANSIEDADE
Lógico que é sempre uma grande alegria e prazer entrar em campo vestindo a camisa da seleção. Fizemos uma excelente preparação e não esperávamos jogar só cinco minutos. Mas são coisas que fogem da nossa vontade e agora estamos retomando nossa melhor preparação para o jogo contra o Peru. Todo mundo está pronto para fazer uma grande partida.

JOGO COM OS PÉS
Isso é muito importante, ter a qualidade na saída de bola, os atletas poderem contar contigo é sempre um jogador a mais na saída, é 11 x 10. O goleiro quando tem essa facilidade ajuda nessa saída e eu sempre procuro aperfeiçoar esse fundamento para ajudar. Mas gosto de lembrar que a principal função é debaixo na trave. O restante é um plus.

TORCEDOR NA PORTA DO HOTEL
A gente fica muito feliz porque desde a nossa chegada fomos muito bem recebido, muito bem tratados, abraçados de uma forma muito bacana. A gente lamenta, porque talvez queríamos que fosse em outro cenário, não em pandemia, e sim que pudéssemos dar um carinho maior para eles. Esperamos fazer nosso melhor em campo para dar essa alegria a eles.

DIFERENÇA FÍSICA ENTRE JOGADORES
Todo mundo sabe que dessa vez teve o espaço para treinamento encurtado um pouco e é difícil reunir tantos jogadores e ter esse encaixe. No jogo contra a Argentina teríamos um jogo bem melhor do que contra o Chile. É mais uma oportunidade. Professor até brinca de que quando as coisas estão ficando boas é hora de voltar para os clubes. Seleção é adaptação rápida e temos um ambiente muito bom. Conversamos muito, tentamos conhecer o íntimo do outro para tirar o máximo de cada um e levar para dentro de campo. Temos feito isso muito bem e vamos em busca de mais vitórias porque o grupo merece e está pronto.

CONVERSA COM TITE
O abraço que ele me deu foi em todos, de uma grande vitória diante de um grande adversário, esse foi o sentimento que todos saímos, de que é difícil ir até o Chile e vencer uma grande equipe. As outras coisas são nossas, do nosso ambiente, daquilo que lutamos para conhecer. Vamos em frente porque não dá para dar muitos detalhes da conversa (risos)

Seleção Brasileira