PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Flu muda e tem mais posse no Brasileiro; Marcão ainda busca ajustes no time

Marcão, técnico do Fluminense - Mailson Santana / Fluminense FC
Marcão, técnico do Fluminense Imagem: Mailson Santana / Fluminense FC

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

06/09/2021 04h00

Aos poucos, o técnico Marcão vai colocando o time do Fluminense à sua feição e algumas mudanças já são perceptíveis aos torcedores. Em meio aos testes e alterações, o comandante pode ser forçado a escalar um novo setor ofensivo contra a Chapecoense, amanhã (7), pelo Campeonato Brasileiro.

O Tricolor vive a expectativa pela volta do atacante Caio Paulista, recuperado de uma lesão na coxa direita, ao mesmo tempo em que não contará com Jhon Arias, liberado pelo clube para viajar à Colômbia para acompanhar o enterro da avó, que morreu ontem (5). Luiz Henrique é também postulante à vaga de titular no setor, que atualmente vem contando com Lucca e Fred.

Caio Paulista, desfalque por 11 jogos — entre compromissos pela Libertadores, Copa do Brasil e Brasileiro —, havia se tornado peça-chave no esquema montado por Roger Machado, demitido após a eliminação na competição sul-americana. Porém, ainda não esteve à disposição de Marcão.

Entre as mudanças feitas pelo treinador efetivado, a mais evidente foi escalar três volantes. Com o recorte apenas dos jogos no Brasileiro, a equipe ganha em posse de bola, com média de 52% com Marcão contra 47,8% com Roger —dados do site "Sofascore".

Por outro lado, o time busca ainda uma melhora em termos de criação de chances mais claras e efetividade. Por exemplo, em finalizações, os jogos com Marcão têm média de 9 conclusões de ataque, contra 10 da Era Roger. Considerando finalizações certas, a diferença é de 4,3 contra 4,4.

O treinador avalia que o time vem evoluindo e, inclusive, lamentou que, na última rodada, tenha cedido o empate ao Juventude no "detalhe". O Tricolor teve até mesmo a chance de "matar o jogo", na avaliação dele, mas cedeu espaços.

"O sentimento é de que poderíamos ter alcançado um resultado melhor. Mas, pelo desempenho, vimos uma evolução. Todos estão satisfeitos com a estratégia que foi criada. E, em um segundo momento, teríamos de arriscar um pouco, e acabamos cedendo espaço. A nossa equipe evoluiu com tudo que pedimos. Foi um jogo mais apoiado, com velocidade, criamos mais oportunidades, mas não fechamos, não matamos, e eles conseguiram, no detalhe, tirar essa chance", disse.

"A gente atua em um jogo de muita imposição, de marcação. Hoje era um jogo para sair com a vitória, mas acredito que do jogo do Bahia para hoje, nossa equipe conseguiu uma evolução técnica, e vamos continuar trabalhando para continuar evoluindo. Vamos criar um Fluminense forte e que goste do jogo", completou, em coletiva.

Fluminense