PUBLICIDADE
Topo

Futebol

'O ódio não pode vencer', diz meia da Inglaterra após insultos racistas

Bellingham (Inglaterra) - 2020 Pool/Divulgação
Bellingham (Inglaterra) Imagem: 2020 Pool/Divulgação

Do UOL, em São Paulo

03/09/2021 15h21

O meio-campista da Inglaterra, Jude Bellingham se pronunciou sobre os insultos racistas que ouviu durante a partida contra a Hungria, em Budapeste, válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. Segundo o 'The Guardian', os torcedores teriam chamado os atletas de macacos.

"Obrigado por todas as mensagens de apoio da noite passada. Faz parte do jogo e sempre será até que as punições adequadas sejam aplicadas por aqueles que detêm o poder. Não podemos deixar o ódio vencer, continue sorrindo!", desabafou.

Além dele, a Federação Inglesa de Futebol (FA) também se posicionou sobre as acusações. Segundo a entidade, o ocorrido foi classificado como "extremamente decepcionante".

"É extremamente decepcionante ouvir relatos de ações discriminatórias contra alguns de nossos jogadores. Pediremos à FIFA que investigue o assunto. Continuamos a apoiar os jogadores e funcionários em nossa determinação coletiva de destacar e combater a discriminação em todas as suas formas", disse a Federação Inglesa.

Esta não é a primeira vez que os torcedores húngaros são acusados de racismo. Na Eurocopa 2021, a Uefa puniu a federação de futebol da Hungria por conta de algumas atitudes cometidas durante algumas partidas.

Segundo o comunicado emitido, nos jogos válidos pela fase de grupos da competição, contra Portugal, França e Alemanha, os torcedores húngaros teriam cometido atos discriminatórios nas arquibancadas.

Futebol