PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Cruzeiro melhora, aumenta rendimento com Luxa, mas está longe do acesso

Luxemburgo e Ricardo Rocha mudaram o ambiente da Raposa desde que chegaram ao clube - Gustavo Aleixo/Cruzeiro
Luxemburgo e Ricardo Rocha mudaram o ambiente da Raposa desde que chegaram ao clube Imagem: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

31/08/2021 04h00

Classificação e Jogos

O Cruzeiro mostra que está atingindo com o técnico Vanderlei Luxemburgo uma estabilidade maior em relação ao que apresentou em campo sob orientação de seu predecessores na temporada, Felipe Conceição e Mozart. Há oito jogos invicto, seis desses sob o comando de Luxa, a Raposa quer elevar seus números para, quem sabe, atingir o maior objetivo na temporada: o retorno à Série A.

Com Luxemburgo, o Cruzeiro tem 66,66% de aproveitamento, tendo conquistado 12 dos 18 pontos conquistados. Exatamente o dobro daquilo que alcançou Mozart, que teve 33,33% de rendimento, com duas vitórias, sete empates e quatro derrotas em 13 jogos.

Já em relação ao primeiro técnico que o time celeste teve na temporada, Felipe Conceição, Luxemburgo tem quase 20% a mais de aproveitamento. Conceição deixou à Toca II após 19 jogos, com oito vitórias, três empates e oito derrotas, e um aproveitamento de 47,3%.

Apesar da melhora significativa e da invencibilidade atual, o Cruzeiro ainda está longe daquilo que precisa para subir de divisão. O empate em 0 a 0 com o CRB, no estádio Rei Pelé, no último domingo, manteve o time celeste estacionado na 14ª colocação, com 25 pontos, dez de diferença para o Botafogo, que fecha o G4 da competição atualmente.

"Nós fizemos por merecer um resultado melhor, mas nem sempre que você propõe acontece. Enfrentamos um adversário qualificado, que tem bons jogadores, jogadores experientes, que sabem jogar, e fizemos um bom jogo (...) O resultado foi muito bom naquilo que nós queremos. Viemos para dois jogos fora de casa contra adversários que estão lá em cima [além do CRB vai enfrentar o Goiás]. E, jogamos de igual para igual com um adversário que está lá em cima, e isso é bastante positivo", analisou Luxemburgo.

O resultado poderia sim ser considerado "bom" como analisou Luxemburgo, não fosse a missão difícil que tem o clube celeste. O departamento de matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) mostra que as chances de voltar para a Série A da Raposa ainda são muito pequenas: apenas 1,8%.

Apesar disso, o risco de rebaixamento, que já esteve maior que 50%, foi reduzido a 12% após a chegada de Vanderlei Luxemburgo, treinador que tem sido bastante elogiado pelos atletas cruzeirenses.

Cruzeiro