PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Destaque nos últimos anos, sub-20 do Vasco vive turbulência e readaptação

Rodrigo Dias, gerente da base do Vasco, em evento em que foi anunciada a expansão do CT das categorias inferiores - João Pedro Isidro/Vasco
Rodrigo Dias, gerente da base do Vasco, em evento em que foi anunciada a expansão do CT das categorias inferiores Imagem: João Pedro Isidro/Vasco

Alexandre Araújo

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

27/08/2021 12h00

A turbulência no Vasco parece ter extrapolado o futebol profissional e atingido também a base, outrora um contraponto em relação a resultados e gestão, e que vem atravessando uma reformulação. A instabilidade acontece cerca de dois meses depois de o Cruz-Maltino ter reconstruído o departamento após uma "debandada" de nomes.

No sub-20, os resultados caíram de forma vertiginosa tanto no Campeonato Brasileiro — de líder para o 10º lugar — quanto no Carioca, o que levou à demissão do técnico Alexandre Gomes, ontem (26). Na nota em que anunciou a saída do profissional, inclusive, a diretoria não descartou novas mudanças.

"A comissão técnica do sub-20 foi alterada substancialmente ao longo das mudanças que aconteceram na base, com a recente saída de muitos profissionais, além de outros promovidos para a equipe principal, o Vasco da Gama continuará realizando os ajustes necessários na maior velocidade possível, e com o menor impacto interno e esportivo possível", diz trecho do informe.

O momento conturbado é um contraste frente aos bons resultados que o Vasco vinha alcançando recentemente na base, com conquista de títulos e até mesmo sendo esperança de dias melhores, enquanto a campanha no profissional não empolga a torcida há algumas temporadas.

A fase, de todo modo, é vista também como fruto de uma adaptação pela qual o departamento passa, com uma remodelação metodológica. No início de junho, Carlos Brazil, então gerente da base, deixou a Colina ao aceitar proposta do Corinthians. Na saída para o Timão, levou oito nomes de hierarquia importante e funções estratégicas nas divisões inferiores, como o coordenador técnico Eduardo Húngaro.

O Cruz-Maltino até conseguiu agir rápido no mercado e recompor as vagas mais fundamentais, movimentações que passaram por Alexandre Pássaro, diretor executivo do futebol profissional, e Rodrigo Dias, substituto de Brazil. Porém, com a necessidade de se adaptar à nova realidade financeira, houve alguns obstáculos que causaram uma mudança no planejamento no decorrer de todo este trâmite.

"Além de trazer alguns profissionais relevantes do mercado para a base, o Vasco adotou uma estratégia importante de valorização dos profissionais que temos aqui na casa, com capacidade e qualidade. Por isso, neste momento, optamos por reconhecer os trabalhos do Igor e do Gustavo, que tiveram excelente aproveitamento em suas campanhas frente ao sub-17. O Vasco não só formou e continua formando bons atletas, mas também forma profissionais. Além disso, depois do título da Supercopa, tivemos a valorização de muitos atletas do sub-20 que subiram para o profissional, que é um dos grandes objetivos da formação", explica Rodrigo Dias.

De 2018 para cá, o Vasco fez boas campanhas e se consolidou em um patamar de destaque no que diz respeito às categorias de formação. Entre 2020 e 2021, por exemplo, no sub-20, conquistou o Carioca, a Copa do Brasil e a Supercopa. A ideia, agora, é que o clube possa fazer avaliações e realizar ações para que possa figurar, o mais brevemente possível, entre os principais times do país novamente.

Expansão do CT

No último sábado (21), quando o Vasco completou 123 anos, foi apresentado a expansão do CT Almirante Heleno Nunes, que é voltado às categorias de base, além de oficializar parceria com a Prefeitura de Duque de Caxias — município onde está localizado o CT —, que tem o objetivo de implantar o Projeto Vasco Social Caxias.

Com a expansão, o local passará a contar com três novos campos de futebol oficiais e instalações de apoio, como vestiários, academia, refeitório e área médica. O planejamento do clube prevê a transferência gradual de todas as atividades da base do Vasco para o CT de Caxias.

"Essa será uma parceria de muito sucesso entre a comunidade de Duque de Caxias e o Vasco da Gama. A expansão do nosso CT é fundamental para a evolução da nossa Base Forte. Precisamos de estruturas que nos dê condições de desenvolver esses talentos que captamos em categorias menores. Toda essa expansão dará essa condição para cada vez mais trabalharmos esses talentos e quem sabe eles possam servir a equipe profissional do Clube", disse Rodrigo ao site oficial do clube, na ocasião.

Vasco