PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Corinthians divulga balancete do 1º semestre com superávit de R$ 394 mil

Duilio Monteiro Alves, presidente do Corinthians  - Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians
Duilio Monteiro Alves, presidente do Corinthians Imagem: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

Yago Rudá

Do UOL, em São Paulo

25/08/2021 22h56

Classificação e Jogos

A diretoria do Corinthians publicou nesta noite (25) o balancete do primeiro semestre deste ano. Presidido por Duilio Monteiro Alves, o Alvinegro fechou o período no azul, com uma superávit de R$ 394 mil, impulsionado pela arrecadação de mais de R$ 200 milhões do departamento de futebol. O clube social, no entanto, registrou um déficit de mais de R$ 33 milhões e prejudicou um resultado mais expressivo.

Os números (veja abaixo o detalhamento das contas) foram aprovados pelo Conselho Deliberativo e também pelo Conselho de Orientação Fiscal do clube nos últimos dias. Apesar dos constantes atrasos nos pagamentos aos funcionários, da manutenção da dívida com os garotos das categorias de base e do não recolhimento do FGTS, o superávit do primeiro semestre foi muito comemorado internamente.

"O balanço mostra os resultados da nossa proposta de trabalho, desde que assumimos em janeiro: implantar uma gestão financeira responsável e transparente, equilibrar as contas, renegociar dívidas, estruturar o clube para trazer novas receitas, poder voltar a investir e ter um crescimento sustentável do Corinthians", afirmou o presidente Duilio Monteiro Alves em nota divulgada pelo clube.

O número mais expressivo do balancete é o da arrecadação do departamento de futebol, que superou os R$ 200 milhões. Descontando as folhas salariais e os pagamentos de tributos, o futebol profissional apresentou um superávit de R$ 33,9 milhões nos seis primeiros meses da temporada, que acabou sendo alavancado pela saída de diversos jogadores do elenco.

Já o clube social, no entanto, arrecadou pouco mais de R$ 20 milhões e, mesmo assim, fechou com um déficit de R$ 8,8 milhões. No Parque São Jorge, além de toda a estrutura administrativa, o Corinthians arca com investimentos em uma série de outros esportes, como natação, basquete e futsal — todos gravemente afetados pela pandemia.

A diferença entre os valores, os R$ 25,1 milhões, são referentes aos gastos com a dívida total do Alvinegro.

O cenário, apesar do superávit, ainda é preocupante. A dívida do Corinthians se mantém próxima de R$ 1 bilhão e a diretoria precisa vender alguns jogadores para sanar as contas do clube. O zagueiro Raul Gustavo pode ser negociado com o Bordeaux, da França, ainda nesta semana, e outros nomes do elenco como Lucas Piton e Léo Natel também estão no radar de clubes europeus.

Ainda assim, o Alvinegro optou em investir nas contratações de Giuliano, Renato Augusto e está muito próxima de fechar com o atacante Roger Guedes e o lateral João Pedro. A ideia da atual gestão é montar um time competitivo, voltar a ter protagonismo no cenário nacional e, com isso, lucrar com a exposição da marca no mercado.

As contas do Corinthians:

Futebol (principais números)

Arrecadação

R$ 145,4 milhões - direitos de transmissão
R$ 46,8 milhões - patrocínios
R$ 14,9 milhões - repasse de direitos federativos (venda de atletas)

Despesas

R$ 103,5 milhões - pessoal (folha de pagamento)
R$ 17,5 milhões - serviços de terceiros
R$ 29 milhões - depreciação e amortização de direitos

Clube social (principais números)

Arrecadação

R$ 4,7 milhões - contribuição dos associados
R$ 14,4 milhões - licenciamento e franquias

Despesas

R$ 18,1 milhões - pessoal (folha de pagamento)
R$ 7,1 milhões - serviços de terceiros

Errata: o texto foi atualizado
Ao contrário do que havia sido publicado anteriormente, o déficit operacional clube social do Corinthians não é de R$ 33,4 milhões, e sim de R$ 8,8 milhões.

Corinthians