PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com torcida e de verde, Cruzeiro volta a vencer duas seguidas após 4 meses

20.8.21 - Marcelo Moreno, do Cruzeiro, comemora gol contra o Confiança pelo Campeonato Brasileiro Série B - Bruno Haddad/Cruzeiro
20.8.21 - Marcelo Moreno, do Cruzeiro, comemora gol contra o Confiança pelo Campeonato Brasileiro Série B Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

20/08/2021 23h28

Após mais de quatro meses, o Cruzeiro volta a vencer duas partidas seguidas. Jogando com apoio da torcida no Mineirão, a equipe ganhou do Confiança por 1 a 0 na noite desta sexta-feira (20), pela 20ª rodada da Série B. De pênalti, Marcelo Moreno anotou o gol do triunfo.

Da última vez que o clube havia conseguido dois triunfos seguidos, Felipe Conceição ainda era o treinador, e a Série B nem havia começado ainda —o time havia batido o Atlético-MG, pelo estadual, e o América-RN, pela Copa do Brasil, nos dias 11 e 14 de abril. Outro fato curioso que é ambas as vitórias foram por 1 a 0, assim como a atual sequência, que começou com os três pontos somados contra o Náutico.

O triunfo, no entanto, não muda a situação da tabela e deixa o time mineiro na 14ª colocação, com 24 pontos ganhos. O Dragão também fica no mesmo posto que iniciou a rodada: o 19ª lugar, com 13 pontos.

A Raposa terá mais de uma semana livre agora, pois só volta a atuar no domingo (29) às 16h, quando enfrenta o CRB no estádio Rei Pelé, pela 21ª rodada. Já o Dragão entra em campo na quinta (26), às 17h, para receber o Goiás, também pela 21ª rodada.

Camisa dá sorte

Com as cores do uniforme da Bolívia, o atacante Marcelo Moreno abriu o placar em cobrança de pênalti. Claudinho fez grande jogada e passou para Wellington, que caiu após dividir com o goleiro Michael. Na cobrança, o centroavante deslocou o arqueiro e balançou as redes.

A celebração pelo gol marcado aos 21 minutos do segundo tempo foi muito intensa. Os jogadores da Raposa correram para comemorar com a torcida no setor amarelo, atrás do gol do goleiro Michael. Além disso, Moreno ainda teve tempo para conversar com Luxa no banco.

Mais de 500 dias depois

Demorou, mas após 527 dias o Cruzeiro voltou a jogar no Mineirão com a presença do público. Espalhados em todos os setores do estádio, a maior concentração de torcedores aconteceu no setor amarelo superior, com a presença das torcidas organizadas. Desde a entrada dos atletas em campo a torcida vibrou bastante, cantando o nome de jogador por jogador. Fábio e Marcelo Moreno foram muito exaltados. O técnico Vanderlei Luxemburgo também, por toda sua história vitoriosa na equipe. E os torcedores entoaram também as tradicionais músicas da arquibancadas, como "nós somos loucos, somos Cruzeiro", por exemplo.

Papéis invertidos

No primeiro jogo do Cruzeiro com o retorno do torcedor ao Mineirão uma situação inusitada. É que a Raposa jogou com o seu novo terceiro uniforme, na cor verde, em homenagem às suas origens como Palestra Itália. Mais uma indumentária do centenário. O curioso ficou com o uniforme do Confiança, todo de azul, como a equipe mineira joga regularmente.

VAR tem estreia discreta

A 20ª rodada marcou o início do árbitro de vídeo na Série B. Héber Roberto Lopes pouco chamou o Ramon Abatti Abel, o árbitro de campo. Mas não é que não tenha trabalhado, passando pela checagem de dois possíveis cometidos por Ney Bareiro.

Primeiro, Marcelo Moreno caiu na área após dividida aos quatro minutos. O atacante reclamou bastante, mas o VAR não interferiu. Da mesma forma a arbitragem de vídeo deixou passar quando quando Bruno José dominou com o peito e, na hora de concluir, foi tocado pelo braço, perdendo o equilíbrio.

Na penalidade que foi marcada para o Cruzeiro, no segundo tempo, também prevaleceu a marcação de campo.

Só 10 minutos

Noberto era a única opção da Raposa para a lateral direita na partida. No entanto, com 10 minutos de jogo, caiu sentindo dores no músculo posterior da coxa direita. O técnico Vanderlei Luxemburgo optou por colocar o meia Claudinho e deslocar o volante Rômulo para o setor.

Claudinho foi o responsável pela jogada que resultou no pênalti, mas também deixou o campo antes do apito final. Aos 33 da segunda etapa, o jogador também foi substituído para a entrada de Marco Antônio.

Domínio sem efetividade

Em uma nova fase após a chegada de Luxa, o Cruzeiro teve o controle do primeiro tempo contra o Confiança. Por outro lado, pouco ameaçou o goleiro Michael. Moreno, em chute cruzado da direita aos 17, e Eduardo Brock, em cobrança de falta aos 25, foram os únicos que levaram algum perigo.

Luxa muda no intervalo

Por isso, a equipe voltou para o segundo tempo com mais duas mudanças: Wellington Nem veio para o lugar de Dudu no ataque e Felipe Augusto, que é atacante de origem, entrou na vaga do lateral esquerdo Matheus Pereira. As alterações deram resultado e o time da casa conseguiu criar mais chances.

Welligton Nem, Ramon e Bruno José tinham criado boas oportunidades quando o jogo ainda estava 0 a 0. A vantagem no marcador fez com que o time diminuísse um pouco o ritmo, mas ainda continuasse dominando o confronto.

O Confiança seguiu muito retraído e só fez uma alteração após estar em desvantagem no placar. Álvaro, Jonathan Bocão, Ítalo, Tiago Reis e Lucas Sampaio vieram para o gramado, porém pouco alteraram a forma de atuar do Dragão. A chance de maior perigo veio no último lance, com Thiago Reis.

Ficha técnica

CRUZEIRO 1 x 0 CONFIANÇA
Data: 20/08/2021
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG);
Hora: 21h30 (de Brasília);
Árbitro: Ramon Abatti Abel (SC);
Auxiliares: Alex dos Santos (SC) e Éder Alexandre (SC);
VAR: Héber Roberto Lopes (SC).

Gols: Marcelo Moreno, aos 21' do segundo tempo, para o Cruzeiro.

Cartões amarelos: Madison, Nirley (CON).

Cruzeiro: Fábio; Norberto (Claudinho e depois Marco Antônio), Ramon, Eduardo Brock e Matheus Pereira (Felipe Augusto); Adriano (Flávio), Rômulo e Giovanni; Dudu (Wellington Nem), Bruno José e Marcelo Moreno. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Confiança: Michael; Marcelinho (Jonathan Bocão), Nirley, Nery Bareiro e João Paulo (Lucas Sampaio); Serginho, Madison e Jhemerson (Álvaro); Luidy (Ítalo), Robinho e Hernane Brocador (Tiago Reis). Técnico: Zé Carlos Leal.

Futebol