PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

São Paulo: patrocínio master prevê R$ 87 milhões e rescisão em rebaixamento

VINICIUS NUNES/AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: VINICIUS NUNES/AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDO

Brunno Carvalho e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

18/08/2021 17h22

Apresentado com pompa e chamado de maior patrocínio da história do São Paulo, o contrato com a sportsbet.io prevê o pagamento fixo de R$ 87 milhões até 2024. Pelo acordo, ao qual o UOL Esporte teve acesso, são R$ 15 milhões em 2021 e R$ 24 milhões anuais em 2022, 2023 em 2024. A partir de 2023, os valores passam a ser corrigidos pela inflação em até 5% ao ano.

Há, além dos valores fixos, uma série de variáveis. A empresa pagará 10 reais para cada adesão em sua plataforma que seja motivada pelo patrocínio ao São Paulo - há um sistema específico para medir isso. Há também premiações por metas esportivas atingidas na competição: em 2021, o título da Libertadores renderia R$ 700 mil. A partir do ano que vem, a conquista da competição mais importante da América do Sul renderá um bônus de R$ 1,7 milhão. A Copa do Brasil, neste ano, renderá R$ 150 mil. A partir do ano que vem o valor passa a R$ 550 mil.

A sportsbet.io tem, em 2023, uma possibilidade de rescindir o contrato unilateralmente, sem o pagamento de rescisão. É uma das duas hipóteses de rescisão sem pagamento de parte dos valores restantes no contrato: a outra é em caso de rebaixamento do São Paulo para a Série B do Brasileiro ou para a Série A2 do Paulista.

Os valores do patrocínio abrangem muito mais do que a marca na camisa da equipe de futebol profissional: o São Paulo negociou com a sportsbet.io uma lista extensa de propriedades.

Fazem parte do acordo as camisas das equipes masculina e feminina de futebol e da equipe de basquete, além de espaços para as marcas nos ônibus que transportam as delegações. Foram negociadas inserções nos telões do Morumbi durante os jogos, a cessão de três camarotes, pelo menos 100 ingressos pra jogos de mando do São Paulo, 250 camisas (100 delas autografadas pelo elenco), 15 visitas ao CT da Barra Funda, um evento anual no Morumbi, três em Cotia.

O São Paulo também cederá a imagem coletiva de atletas para a empresa e se compromete a auxiliar em projetos de marketing envolvendo atletas e ídolos da história do clube.

O anúncio do patrocínio causou polêmica - o São Paulo afirmou que se tratava do maior da história do clube, mas não divulgou os valores. Acordos com a LG e com a BMG, divulgados em gestões passadas, teriam valores proporcionalmente superiores. A reportagem não teve, entretanto, acesso a esses contratos para além de valores divulgados na época.

"Sim, o São Paulo considera esse o maior contrato de sua história. A comparação deve levar em conta todos os fatores e variáveis. O tempo de contrato, o valor em espécie, as permutas, os bônus, a premiação, os produtos. Se compararmos todos esses pontos, podemos considerá-lo o maior da história. Mas é importante ressaltar que essa comparação deve ser feita com valores reais que foram atingidos nos contratos, e não com os que foram ventilados no mercado ou estimados", afirma o diretor de marketing Eduardo Toni.

Com parte dos valores do acordo atreladas ao mercado de apostas esportivas no país, o clube do Morumbi aposta em ajudar a impulsionar o segmento. "O São Paulo tem múltiplas possibilidades de monetização. E estamos trabalhando para buscar novas formas de receita além das tradicionais. O setor de apostas é um dos principais players do mercado publicitário neste momento, basta você acompanhar a presença destas empresas nos principais veículos de comunicação. Até mesmo por isso, é importante o São Paulo fazer parte desse crescimento do ramo", explica Toni.

O contrato com a sportsbet.io foi aprovado pelo Conselho Deliberativo em votação virtual realizada ontem (17). Apenas quatro conselheiros votaram pela reprovação, com uma abstenção. Inicialmente, a diretoria do São Paulo havia mandado o contrato sem os valores para o Conselho aprovar. No início da sessão de segunda-feira, contudo, o presidente do Conselho, Olten Ayres de Abreu Junior, decidiu exibir os valores do acordo aos presentes na sessão.

São Paulo