PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2021

Atlético-MG atropela River e avança para pegar o Palmeiras na Libertadores

Hulk e Zaracho comemoram gol do Atlético-MG contra o River Plate na Libertadores - Fernando Moreno/AGIF
Hulk e Zaracho comemoram gol do Atlético-MG contra o River Plate na Libertadores Imagem: Fernando Moreno/AGIF

Henrique André

Do UOL, em Belo Horizonte

18/08/2021 23h24Atualizada em 19/08/2021 00h05

O Atlético-MG se classificou com folga para a semifinal da Copa Libertadores da América. Com uma atuação impecável —e impiedosa nos primeiros minutos—, o Galo derrotou o River Plate por 3 a 0, hoje (18), no Mineirão, pelo jogo de volta do confronto que ficou marcado também pelo retorno da torcida ao estádio. Com dois gols de Zaracho e um de Hulk, a equipe de Cuca avançou para enfrentar o Palmeiras após um placar agregado de 4 a 0 sobre os argentinos.

O resultado comprovou o bom momento vivido pelo Atlético-MG na temporada. Além das nove vitórias consecutivas que ostenta no Campeonato Brasileiro, o Galo despachou com autoridade uma das equipes mais poderosas da América do Sul. O River Plate estava em busca de sua quinta semifinal consecutiva do torneio sul-americano, além de ter conquistado dois títulos e obtido um vice nas últimas seis edições.

O Atlético-MG chegou ao Mineirão com vantagem de um gol, mas não "sentou" em cima do resultado. Foi para cima desde os primeiros minutos e já chegou ao intervalo com um placar de 2 a 0. Na etapa final, só precisou complementar seu triunfo e nem sentiu falta de Nacho Fernández, um de seus principais atletas que não participou do jogo por ter sido expulso na ida.

Com o resultado, o Atlético-MG se tornou o primeiro brasileiro a eliminar River Plate e Boca Juniors, que são os maiores times da Argentina, em um só campeonato. Nas oitavas de final, o Galo havia despachado os "xeneizes" na disputa por pênaltis após dois empates sem gols. Até então, apenas o Independiente del Valle, do Equador, havia conseguido tal feito, em 2016.

Com a vaga assegurada na semifinal, o Atlético-MG só espera pela confirmação das datas do confronto com o Palmeiras, que na terça-feira (17) eliminou o São Paulo com uma vitória por 3 a 0. Os jogos devem acontecer nas duas últimas semanas de setembro. Enquanto isso, o Atlético-MG volta a campo pelo Brasileirão na próxima segunda-feira (23) para enfrentar o Fluminense, em São Januário. O Galo defende a liderança, com cinco pontos de vantagem sobre o próprio Palmeiras.

A volta da massa: 17.030 torcedores

A partida também marcou o retorno do torcedor aos estádios de Minas Gerais depois de um ano e cinco meses de arquibancadas vazias por causa da pandemia do novo coronavírus. Uma determinação regional permitiu a ocupação de 30% do Mineirão para o confronto. A expectativa era de que o Galo levasse 17 mil torcedores, e a marca divulgada pela organização, no fim, foi de 17.030. A despeito das recomendações das autoridades e dos protocolos divulgados pela Conmebol, os atleticanos acabaram se aglomerando dentro —e, principalmente, fora do estádio—, também deixando as máscaras de proteção facial de lado.

Torcida do Atlético-MG volta ao Mineirão - MOURãO PANDA/O FOTOGRÁFICO/ESTADÃO CONTEÚDO - MOURãO PANDA/O FOTOGRÁFICO/ESTADÃO CONTEÚDO
Jogadores do Atlético-MG comemoram diante de seus torcedores no Mineirão: vitória sobre o River Plate
Imagem: MOURãO PANDA/O FOTOGRÁFICO/ESTADÃO CONTEÚDO

Cai um gigante

Ao despachar o River Plate, o Atlético-MG também interrompeu uma sequência dominante do clube argentino pela Libertadores. Campeão em 2018, o time portenho tentava alcançar sua quinta semifinal consecutiva. Em 2017 e 2020, eles caíram nesta fase, eliminados respectivamente por Lanús e Palmeiras. Em 2019, perderam a decisão para o Flamengo.

Galo insinuante

O Atlético-MG não deu tempo para o River Plate respirar e partiu para cima desde os primeiros minutos. Aos 5 minutos, obrigou Armani a fazer uma grande defesa em chute de Vargas, após passe em profundidade de Hulk. E trinta segundos depois, o atacante chileno voltou a assustar o goleiro argentino. Em cruzamento de Savarino da direita, ele se antecipou e desviou de cabeça. Mas a bola passou raspando a trave direita.

Gol para ficar na memória

O Atlético-MG dominou o começo de jogo de maneira realmente contundente. O Galo se aproveitou de um sistema de três zagueiros do adversário para comandar as ações de meio-campo. E dessa forma, conseguiu chegar ao primeiro gol da partida. E foi uma pintura! Aos 22 minutos, Hulk avançou pela direita e cruzou para Zaracho. O argentino, então, emendou um voleio no canto direito, sem defesa para Armani: 1 a 0.

Goleiro também decide

Everson já havia sido uma peça fundamental na vitória do Galo na partida de ida. E apesar do domínio do Atlético-MG no Mineirão, ele também precisou trabalhar em momentos decisivos. Quando o jogo estava sem gols, ele espalmou um chute de Suárez de fora da área. Um pouco depois, já com o Galo à frente no placar, ele impediu que Julian Álvarez igualasse. Ele recebeu passe pela esquerda e chutou forte, mas Everson mandou para escanteio.

River muda... Mas nem tanto

Tentando consertar um sistema de jogo que não deu certo, o técnico Marcelo Gallardo tirou o zagueiro Maidana para a entrada do meio-campista Paradela. O River, porém, não teve tempo para avaliar se deu certo. No minuto seguinte, o Atlético-MG aumentou a diferença em um contra-ataque certeiro. A bola saiu dos braços de Everson em direção a Savarino. Do campo de defesa, o venezuelano lançou Hulk, que avançou livre e tocou por cobertura sobre Armani para marcar o segundo do Galo.

Galo controla o jogo

Com a boa vantagem no placar agregado -3 a 0-, o Atlético-MG não tinha mais a obrigação de partir para cima e conseguiu controlar bem o ímpeto do River Plate. Terminou o primeiro tempo com o tempo de posse de bola em equilíbrio, o que não é muito confortável para os argentinos. Criou mais uma oportunidade com Vargas, que foi barrado por Armani. E viu o adversário criar mais duas chances de gol, mas sem oferecer grande perigo.

Savarino: um substituto à altura

O Atlético-MG começou o segundo tempo com a partida na mão. Mas queria mais. E foi a vez de Savarino comprovar que foi a escolha perfeita para substituir a estrela Nacho Fernández, expulso no jogo de ida. Depois fazer um lindo lançamento para o gol de Hulk, o venezuelano fez mais uma assistência. Em cruzamento da esquerda, ele encontrou Zaracho, que mergulhou de cabeça, acertando o canto direito, aumentando a vantagem para 3 a 0.

Hulk Hulk Hulk!

Artilheiro do Galo na temporada, com 17 gols marcados em 39 partidas disputadas, Hulk viveu noite especial, logo na entrada ao gramado. Pela primeira vez, ele teve o nome gritado pelo torcedor. Quando o camisa 7 foi anunciado no sistema de som do Gigante da Pampulha, o paraíbano de 34 anos foi bastante festejado.

Nacho e Diego Costa

Para o duelo no Mineirão, o Atlético-MG contou com o reforço de dois jogadores. O meia Nacho Fernández, autor do gol da vitória na Argentina, mas que acabou expulso, chegou ao Gigante da Pampulha acompanhado por um segurança do clube e foi bastante simpático com os jornalistas. Contudo, não pôde conceder entrevista.

Diego Costa, por sua vez, chegou acompanhado pelo irmão Jair e seu estafe. Cercado por funcionários do clube, ele logo se dirigiu a um dos camarotes do Gigante da Pampulha. O jogador de 32 anos chega para dividir protagonismo com Hulk na equipe alvinegra.

Ficha técnica

Atlético-MG 3 x 0 River Plate
Motivo:
quartas de final da Libertadores
Data: 18 de agosto de 2021 (quarta-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Juiz: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Christian Schiemann (Chile) e Claudio Rios (Chile)
VAR: Andres Cunha (Uruguai)
Cartões amarelos: Nathan Silva (Atlético-MG); Casco e Zuculini (River Plate)
Gols: Zaracho, aos 22min do primeiro tempo e aos 16min do segundo tempo, e Hulk, aos 34min do primeiro tempo (Atlético-MG)

ATLÉTICO-MG: Everson; Mariano (Guga), Nathan Silva, Junior Alonso, Guilherme Arana; Allan (Réver), Jair (Tchê Tchê), Zaracho; Savarino, Hulk (Keno), Vargas. Técnico: Cuca

RIVER PLATE: Armani; Paulo Díaz, Maidana (Paradela), David Martínez; Casco, Zuculini (De La Cruz), Enzo Pérez, Angileri (Vigo); Matías Suárez, Braian Romero, Julián Álvarez. Técnico: Marcelo Gallardo