PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Inter rompe com perfil, mas tem desempenho semelhante após troca de técnico

Diego Aguirre busca melhores resultados sob comando do Inter no Brasileirão - Ricardo Duarte/SC Internacional
Diego Aguirre busca melhores resultados sob comando do Inter no Brasileirão Imagem: Ricardo Duarte/SC Internacional

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

05/08/2021 04h00

Há 55 dias, o Inter demitia Miguel Ángel Ramírez. Naquele momento, rompia com o perfil que havia escolhido após somente três meses de trabalho. E a quebra se transforma ainda mais evidente analisando alguns números do time. Com Diego Aguirre, contratado semanas mais tarde, houve uma mudança brusca na forma, mas o desempenho pouco foi alterado.

Considerando apenas rivais de Série A, independentemente do país em que atuam, Ramírez comandou o Inter em 13 partidas, com quatro vitórias, três empates e seis derrotas. Foram dois jogos contra: Juventude, Always Ready (Bolívia), Deportivo Táchira (Venezuela) e Olimpia (Paraguai), mais três partidas contra o Grêmio e um jogo com Fortaleza e Sport. O aproveitamento de pontos foi de 38,4%.

Diego Aguirre esteve no comando em 11 partidas, todas contra rivais de Série A até agora. Encarou duas vezes o Olimpia (Paraguai), e uma vez: Chapecoense, Cuiabá, Grêmio, Corinthians, Palmeiras, Juventude, Athletico Paranaense, São Paulo e América-MG. Sob comando do uruguaio foram duas vitórias, seis empates e três derrotas. O aproveitamento é quase o mesmo, com 36,3%.

A grande diferença está na forma que as coisas aconteceram. O Inter com Ramírez marcava muitos gols e sofria outros tantos. No mesmo recorte, a equipe gerida pelo espanhol, que atualmente trabalha no futebol dos Estados Unidos, marcou 21 gols, média de 1,6 por jogo, e sofreu 18, média de 1,3 por partida.

Enquanto isso, o time de Aguirre estancou os gols sofridos, mas ainda não achou a melhor maneira de aumentar os marcados. Foram sete gols feitos, média de 0,6 por jogo, e nove gols sofridos, totalizando 0,8 por partida.

Tal mudança brusca evidencia como a equipe trocou de rumo com a mudança no comando. A ideia de continuidade e de aproximação de modelos, ao menos nos resultados efetivos de um jogo, ainda não está aparente.

Porém se torna claro que, independente da forma que as coisas aconteçam, o grupo do Inter não mostrou grande evolução ou queda com qualquer um dos treinadores. Segue conquistando pontuação semelhante contra rivais que disputam a elite de seus países.

O Inter volta a campo no domingo para encarar o Flamengo pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Internacional