PUBLICIDADE
Topo

Futebol

RMP afirma que saída de Kaio Jorge é má administração do Santos: "bobeou"

Do UOL, em São Paulo

03/08/2021 13h04

O Santos anunciou ontem (2) que entrou em acordo com a Juventus pela liberação imediata de Kaio Jorge. Promissor, o atacante de 19 anos vai render apenas 3 milhões de euros (R$ 18,5 milhões) ao Peixe, além de 1 milhão de euros (R$ 6,1 milhões) quando o atleta atingir determinas metas. O presidente santista, Andres Rueda, informou que tentou manter o jovem ao fazer uma "proposta irrecusável" para que ele renovasse o seu contrato.

No UOL News Esporte desta terça-feira (03/08), Renato Maurício Prado criticou a forma e a demora que a cúpula do Alvinegro praiano conduziu as tratativas para que Kaio Jorge seguisse na Vila Belmiro, ao invés de seguir agora para o time italiano.

"Nada mais do que má administração. Como você pega um jogador como o Kaio Jorge que, desde as divisões de base era considerada uma joia do Santos, e não renova o contrato dele para, pelo menos, quando for vender conseguir um dinheiro decente? Acontece o que aconteceu: acabou o contrato e ele iria sair completamente de graça. Isso porque o Santos não conseguiu renovar o contrato dele mais lá atrás. É claro que, depois que o jogador já está apalavrado com o clube estrangeiro, para renovar, a coisa fica complicadíssima", analisou.

"O que o Santos fez foi bobear. O Santos bobeou e conseguiu agora uns caraminguazinhos, mas muito menos do que deveria conseguir por um jogador talentoso, promissor, como é o Kaio Jorge. Fico me perguntando como está o [treinador] Fernando Diniz. Ele já não tem um grande elenco na mão. Aí, pega o seu melhor atacante — melhor não porque tem o Marinho —, mas o seu mais promissor atacante, goleador, garoto de ouro, e lá vai o garoto embora. É duro. O Santos também é um caso impressionante de má gestão", finalizou.

Kaio Jorge já viaja para a Itália na próxima quarta-feira para assinar com a Juventus até 2026. A Velha Senhora irá pagar metade dos 3 milhões de euros em agosto e a outra metade em 2022, além de 1 milhão de euros quando o centroavante atingir um determinado número de jogos.

Futebol