PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Cotia mostra força em temporada caótica do São Paulo por causa das lesões

Igor Gomes disputa bola com Marcos Rocha, durante a partida entre São Paulo e Palmeiras - Paulo Pinto/São Paulo FC
Igor Gomes disputa bola com Marcos Rocha, durante a partida entre São Paulo e Palmeiras Imagem: Paulo Pinto/São Paulo FC

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

03/08/2021 04h00

O meio de campo do São Paulo escalado por Hernán Crespo contra o Palmeiras, no sábado (31), conhecia o clube como a palma da mão. Todos os escolhidos pelo técnico argentino eram oriundos das categorias de base são-paulina. O talento "made in Cotia" tem ganhado espaço ao longo da temporada, principalmente com o alto número de lesões que assombram o Morumbi.

Rodrigo Nestor, Liziero, Igor Gomes e Gabriel Sara formaram um meio de campo com média de idade de menos de 22 anos. No ataque, alguém ainda mais jovem era responsável por ir para cima de Felipe Melo e criar as principais jogadas do primeiro tempo. Marquinhos, de 18 anos, estava ganhando cada vez mais minutos com Crespo, é verdade, mas deixou a partida com uma lesão na coxa esquerda.

O excesso de base teve como uma das razões os desfalques de Crespo. O zagueiro Arboleda e o volante Luan se recuperavam de lesões, enquanto o meia Martín Benítez cumpria suspensão depois de levar o terceiro cartão amarelo. O treinador argentino decidiu mudar o esquema tático e montar um meio de campo com quatro atletas, todos vindos de Cotia.

O espaço dado aos jovens de Cotia fica evidente nos números. Quatro deles estão entre os 10 que mais minutos tiveram na temporada: Liziero (1181 minutos), Gabriel Sara (1048), Rodrigo Nestor (989) e Welington (896). A lista entre os jogadores de linha é liderada pelo zagueiro Léo, com 1445 minutos.

O crescimento da base no profissional não é exclusividade da temporada atual, mas o calendário apertado tem acelerado a transição. Com reforços como Eder sofrendo com lesões, Marquinhos subiu para o profissional há pouco mais de um mês e, até o momento, fez 10 jogos. Crespo decidiu apostar no jovem para ser titular contra o Racing, no jogo decisivo das oitavas de final da Libertadores.

A escolha foi um sucesso. Marquinhos marcou um dos gols e deu assistência para Rigoni balançar as redes. Naquela partida, a base são-paulina ainda foi representada pelo lateral Welington.

Atuando pelo profissional desde o ano passado, o lateral começou a ganhar mais espaço com Hernán Crespo e já fez 19 partidas na temporada. As boas atuações fizeram com que ele começasse a disputar posição com o veterano Reinaldo.

"Sempre analisamos as situações da partida, e sempre trabalhamos com Cotia. Por isso que Welington está jogando, o Marquinhos jogou hoje, em outras ocasiões jogou o Talles. Nós acreditamos que os jovens são o futuro, mas precisamos de gente como Arboleda, Miranda, Léo e Volpi. Gente de talento e experiência para ajudar os mais jovens", explicou Crespo, depois da vitória do São Paulo sobre o Racing, há duas semanas.

A base são-paulina ainda tem sido representada nos profissionais pelo volante Luan, quase sempre titular e peça importante no título paulista, o zagueiro Diego Costa e o meia Talles.

O próximo compromisso do São Paulo será nesta quarta-feira (4), contra o Vasco, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Com um número alto de lesionados, a tendência é que boa parte dos escolhidos por Crespo sejam frutos de Cotia.

São Paulo