PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Milly: "São Paulo ganhou efeito psicológico para a Libertadores"

Do UOL, em São Paulo

01/08/2021 04h00

Classificação e Jogos

Em um clássico no qual o VAR roubou a cena, São Paulo e Palmeiras ficaram no 0 a 0 neste sábado (31), em duelo realizado no Morumbi pelo Brasileirão. Polêmicas de arbitragem à parte, as duas equipes fizeram um 'esquenta' para os confrontos decisivos das quartas de final da Libertadores. Os rivais se encaram novamente no estádio são-paulino em 10 de agosto; uma semana depois, no Allianz Parque, será conhecido um dos semifinalistas do torneio sul-americano.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte - com os jornalistas Isabela Labate, Rodrigo Mattos, Milly Lacombe e Rodolfo Rodrigues - os comentaristas falaram sobre suas expectativas para os próximos dois clássicos pela Libertadores e se o Choque-Rei deste sábado foi uma prévia destes duelos.

Se as polêmicas do VAR irritaram os são-paulinos no clássico deste sábado, elas agora devem servir como motivação para o Tricolor, na visão de Milly. "O São Paulo ganhou um efeito psicológico. Se eu jogo no São Paulo e tenho esses dois gols tão polêmicos contra um rival que vou pegar duas vezes agora na sequência, vou usar isso para me motivar ou motivar o time. Talvez esse seja um fator diferente. É mata-mata e vai ser mais emocionante de qualquer jeito, embora no Paulista tenham feito dois jogos muito ruins. O São Paulo terá que buscar alguma coisa para tantos desfalques. O Palmeiras, ao contrário, tem um excesso de elenco e vai mudando como quer", comentou.

Mattos espera ver jogos com mais lances efetivos em busca do gol. "Não sei se é prévia por isso. Talvez tenha faltado um elemento de competitividade que certamente os dois times vão colocar quando tiver um jogo mata-mata. Especialmente o São Paulo, que está lutando para não ficar na zona de rebaixamento. Achei que o Palmeiras fosse brigar mais pela vitória hoje [ontem] porque está na ponta. Será um confronto diferente. Espero que não seja como a final do Paulista. Temos que ver como o São Paulo estará. Precisa de um mínimo de recuperação de jogadores porque daqui a pouco não tem mais elenco. Sai um a cada rodada", disse, referindo-se às constantes lesões sofridas pelos atletas do Tricolor.

Rodrigues destacou que o Tricolor, embora esteja em posição pior no Brasileirão, está longe de ser descartado na Libertadores. "Nos quatro jogos contra o Palmeiras nesta temporada, o São Paulo foi melhor em todos. O Palmeiras não marcou nenhum gol. Nas duas partidas das finais do Paulista, não houve uma grande superioridade, o São Paulo foi melhor e fez por merecer o título. Pelo elenco, o Palmeiras até era favorito. Hoje [ontem] de novo. O São Paulo se impôs e isso dá um certo ânimo. Está mal no Brasileirão, mas tem time e total condição de brigar de igual para igual com o Palmeiras", ressaltou.

Mattos elogiou a evolução do Palmeiras, com algumas ressalvas, e aguarda clássicos mais disputados. "Será mais competitivo. Não sei se será melhor do ponto de vista do futebol, mas certamente veremos mais disputa. Se compararmos com a final do Paulista, o Palmeiras evoluiu. Tem um jogo com dois meias, Gustavo Scarpa e Raphael Veiga. Houve um incremento no jogo do Palmeiras. Porém, ainda há momentos em que o time é pouco eficiente. Foi o caso hoje [ontem]. A defesa, que seria um pilar, falhou várias vezes. Tomou duas bolas longas. Tomou um gol de bola parada com o principal zagueiro metendo contra. Não foi eficiente, além de ter pouco atacado", ponderou.

Rodrigues enfatizou que o São Paulo enfrenta outro adversário pesado: o desgaste físico "O time tem perdido muitos jogadores e tem jogo no meio de semana contra o Vasco pela Copa do Brasil. O Palmeiras não joga. Depois, o São Paulo tem um jogo difícil pelo Brasileirão {fora de casa contra o Athletico], por isso tem uma situação mais complicada. Mas pelo futebol apresentado, o São Paulo tem motivo para acreditar em fazer um jogo bem parelho com o Palmeiras", concluiu.

Futebol