PUBLICIDADE
Topo

Botafogo

Força mental e apoio de todos na defesa: como o Botafogo reagiu na Série B

Botafogo acumula três vitórias seguidas na Série B do Brasileiro - ÉRICA MARTIN/THENEWS2/ESTADÃO CONTEÚDO
Botafogo acumula três vitórias seguidas na Série B do Brasileiro Imagem: ÉRICA MARTIN/THENEWS2/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/08/2021 04h00

Classificação e Jogos

Enderson Moreira chegou ao Botafogo há pouco mais de uma semana e trouxe o clube para uma nova realidade dentro da Série B do Brasileiro. Sem sofrer nenhum gol, o Glorioso emplacou três vitórias seguidas e agora se põe como um dos postulantes ao acesso à elite. Essa mudança repentina está relacionada com o trabalho mental conduzido pelo técnico.

"Tenho um pensamento de que somos uma cabeça que controla o corpo. Então, a confiança é muito importante. Temos o pensamento de que talvez não sejamos tão bons. Mas o resgaste foi muito importante, com minhas ideias. Eles vinham fazendo coisas importantes já com o Chamusca. Tenho minha maneira de pensar, coloquei isso para eles, que aceitaram bem", avaliou Enderson em coletiva.

"Para dar uma mudada, precisamos confiar no treinador, na comissão. Estamos aqui para ajudar, quando ajudamos os atletas, eles nos ajudam com bons resultados", completou.

O técnico chegou a uma equipe que não vencia há cinco rodadas e via a zona de rebaixamento se aproximar. Além de renovar os ânimos, reduzir os erros dentro de campo e espantar a má sorte que rondava General Severiano, o comandante recolocou a equipe nos eixos, arrumando, primeiramente, a marcação. Pois, para o comandante, não existe o 'setor defensivo'. Todos são encarregados de defender.

"O que eu tenho passado para eles é que o sistema defensivo é toda equipe. Nossos jogadores de frente estão envolvidos. O que nos faz atacar ou defender é apenas a questão de ter a bola. Quando não temos, marcados e, quando temos, buscamos jogar, inclusive com o Diego, nosso goleiro. Temos que defender com bloco e ter alguns gatilhos para fazer a compactação, sem deixar a bola entrar no corredor central, principalmente. É o geral, o trabalho da equipe tem melhorado a cada dia", contou.

Esse encaixe ajuda o lateral esquerdo Guilherme Santos a se mandar para o ataque e ser uma peça importante da equipe. Elemento surpresa, o jogador dá mais opções para Chay, grande articulador da equipe, na criação das jogadas. Diego Gonçalves, meia pelo setor esquerdo, ajuda a formar uma trinca que encontra muitos espaços na defesa adversária.

Nas próximas três rodadas, o Alvinegro fará mais duas partidas em casa e não irá encontrar nenhum time acima de sua colocação na tabela. Os confrontos diante da Ponte Preta, no dia 8, Operário, no dia 12, e Brasil de Pelotas, no dia 15, são grandes chances do clube buscar o G4, algo que parecia distante antes da chegada de Enderson Moreira, quando a diferença era de 10 pontos.

"Temos muita coisa para melhorar. Não há um excesso de euforia, ninguém está achando que tudo será um mar de rosas. Ainda vamos ter momentos de dificuldade na competição, refazer alguns caminhos, alguns processos. É uma avaliação constante, independente de resultado", finalizou.

Botafogo