PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Mattos: "É absurdo anular gol desse jeito. Não há interferência do Miranda"

Do UOL, em São Paulo

31/07/2021 22h55

Classificação e Jogos

Em clássico marcado por uma arbitragem polêmica, São Paulo e Palmeiras empataram sem gols neste sábado (31), no Morumbi, pelo Brasileirão. Em lances com interferência do VAR e que causaram muita discussão, o Tricolor teve um pênalti revogado e um gol anulado. Veja os lances que geraram tanta polêmica.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte - com os jornalistas Isabela Labate, Rodrigo Mattos, Milly Lacombe e Rodolfo Rodrigues - os comentaristas discutiram a respeito da interferência do VAR no clássico. Sobraram críticas para as decisões tomadas pela arbitragem nesses lances capitais.

"Já está claro que o VAR brasileiro é cada vez mais intervencionista e quer participar o tempo inteiro do jogo, tanto o da CBF como o da Conmebol. Eles ficam coçando o dedo para participar de qualquer jeito. O Miranda interferiria na possibilidade de o Patrick de Paula tirar a bola, essa que é a discussão. É absurdo anular um gol desse jeito. É querer procurar pelo em ovo o tempo inteiro. Não há participação decisiva do Miranda no lance. O Gustavo Gómez mete a bola para dentro. Gol contra. Acabou. Não tem muita discussão", opinou Mattos.

Milly concorda com a análise do colunista. "Não faz nenhum sentido. É interpretativo. Você vê que o juiz fica muito em dúvida. Primeiro: não era nem para chamar o VAR. Depois, se está tão em dúvida, fica com a primeira decisão. É um absurdo isso que acontece com o VAR no nosso futebol. É intervencionismo puro, é querer aparecer. São mais três juízes para atrapalhar o jogo. Essa nossa sanha de querer controlar tudo a todo instante não existe", criticou.

Para Mattos, a decisão de anular o gol contra de Gustavo Gómez foi equivocada. "O futebol está se transformando na América do Sul em ficar horas discutindo na frente de uma câmera, conversando. Ninguém aguenta mais isso aí. É uma palhaçada, um intervencionismo excessivo. É absurda a anulação do gol porque a interferência do Miranda não existe. É uma hipótese, 'se' o Patrick alcançasse a bola e pudesse tirá-la, aí talvez o Gustavo Gómez não a colocaria para dentro. É muito 'se'. Não cabe", comentou.

Rodrigues também se queixou da atuação da arbitragem no clássico. "O Luiz Flávio {árbitro da partida] e o VAR erraram feio nos dois lances. Achei que foi pênalti do Gustavo Gómez no Marquinhos. Houve o contato. Ele marcou na hora e achei estranho, porque me parecia um lance bem claro. Também não entendi a demora, que é irritante. Já o gol foi mal anulado. O Miranda não interferiu na jogada. A bola passou por ele e pelo Patrick e foi um gol contra. Onde a posição do jogador vai interferir ali?", questionou.

Milly também viu pênalti na jogada de Marquinhos no primeiro tempo. "Vendo rápido, me parece pênalti. Em câmera extra lenta, tudo fica justificável. Quem quer, vê pênalti; quem não quer, não vê. Mas na imagem em velocidade real acho que houve interferência, sim, do Gómez no Marquinhos. Eu daria o pênalti", analisou.

Mattos, que achou correta a decisão de não marcar o pênalti em Marquinhos, alerta para os riscos que a forma como o VAR tem sido utilizado podem causar ao futebol no país. "A primeira interferência do VAR foi correta. Não foi pênalti do Gustavo Gómez. Você olha o lance pela primeira vez e parece que foi pênalti. Depois, percebe-se que não, pois ele efetivamente não derruba o Marquinhos. Nesse segundo lance... A gente vai transformar em outro esporte, daqui a pouco. Será olhar vídeo o dia inteiro para analisar o que aconteceu. Estamos partindo para um caminho muito errado no futebol brasileiro. O que está sendo visto com o VAR na Europa é o contrário: é buscar menos intervenção, não essa coisa de conversar na frente da câmera", concluiu.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol