PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Crespo diz que trabalha para identificar razão de lesões: "Problema existe"

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

31/07/2021 22h28

Classificação e Jogos

O técnico Hernán Crespo por mais de uma vez atribuiu ao alto número de jogos na temporada uma das razões para a série de lesões que os jogadores do São Paulo têm sofrido. Depois do empate sem gols com o Palmeiras hoje (31), no Morumbi, o comandante afirmou que o clube trabalha, também, para identificar outras explicações sobre a questão.

"Estamos trabalhando para identificar o problema, porque o problema existe. Eu já falei aqui falei que o São Paulo já jogou em seis meses 50 jogos, é muito difícil. E falta muito [para terminar a temporada]. Por um lado, acredito que é normal. Em outra parte, estou preocupado com a situação. Mas a situação aqui não é encontrar culpados, mas construir para que não aconteça outra vez. Mas não é uma coisa que será resolvida esse ano, com certeza", afirmou.

O São Paulo chegou para o clássico com quatro desfalques por problemas físicos: o zagueiro Arboleda, o volante Luan e os atacantes Éder e Luciano. Ao longo do jogo, esse número aumentou quando Marquinhos precisou ser substituído ao sentir a coxa esquerda.

Questionado se a série de lesões poderá fazer com que ele poupe atletas contra o Vasco, Crespo lembrou a dificuldade em mandar a campo o mesmo time por mais de uma rodada. "Eu gostaria, talvez na próxima vez, de saber se eu pude repetir os mesmos 11 nesses seis meses. Você pode chamar de poupar, escolhas, como quiser, mas não lembro de poder repetir os memos 11".

O São Paulo agora volta as atenções para a Copa do Brasil. Depois de vencer por 2 a 0 no Morumbi, a equipe vai a São Januário, no Rio de Janeiro, enfrentar o Vasco, na quarta-feira (4, às 21h30 (de Brasília).

Confira outras declarações de Hernán Crespo:

Arbitragem

Não quero falar do árbitro e do VAR, porque acredito e tenho muito respeito pela diretoria, que já falou disso. Acredito que o time jogou um grande jogo, contra um grande time. Foi taticamente perfeito. Fizemos todo o possível: dois gols, um pênalti, situações perigosas, mas não alcançamos. É isso o que posso controlar. O que pudemos controlar, fizemos muito bem.

Mudança de esquema tático

Acredito que deu certo enquanto estrategicamente fomos superiores a um grande time como o Palmeiras. Estou muito feliz pela atuação dos atletas, como entenderam o jogo técnica e estrategicamente. Você sabe que São Paulo pode mudar, pode jogar com três ou quatro zagueiros, mas a vontade de ser protagonista não muda. Os atletas demonstraram a capacidade de adaptação a situações de futebol.

São Paulo