PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Curinga de Crespo, Bruno Alves é um dos líderes de minutos pós-Paulista

Bruno Alves, durante a partida entre São Paulo e Inter - Pedro H. Tesch/AGIF
Bruno Alves, durante a partida entre São Paulo e Inter Imagem: Pedro H. Tesch/AGIF

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

30/07/2021 04h00

Classificação e Jogos

"Tentamos fazer uma escalação com muitos dados, não somente com a capacidade técnica, mas também com recuperações, lesões, eventuais lesões". A declaração de Hernán Crespo depois da vitória do São Paulo sobre o Vasco, pela Copa do Brasil, demonstrava a preocupação do treinador com o congestionado calendário do futebol brasileiro.

Sempre com jogos no meio e no fim da semana, Crespo tem rodado o elenco do São Paulo o máximo que pode. E isso tem ficado claro quando se analisa a minutagem dos jogadores depois da conquista do Campeonato Paulista. E, dentre todos os jogadores de linha, aquele que soma mais tempo de ação é alguém que, hoje, não faria parte do time ideal do argentino: Bruno Alves. Só Tiago Volpi ficou mais em campo do que ele nesse período, mesmo que a linha defensiva preferida do técnico seja formada por Arboleda, Miranda e Léo.

Bruno Alves soma 1.425 minutos, seguido de perto por Léo (1.343) e com boa vantagem para Miranda (757) e Arboleda (639). O alto tempo em campo do zagueiro se explica pela sua função no elenco são-paulino. Ele funciona como uma espécie de curinga de Crespo para a zaga. Alves entra no time titular independentemente de qual dos três será ausência.

Os números do zagueiro foram impulsionados pela participação de Arboleda na Copa América, com a seleção do Equador. O camisa 5 desfalcou o São Paulo em dez rodadas por causa do compromisso internacional. Desde que voltou, Arboleda reassumiu a titularidade e esteve em campo nos últimos sete jogos da equipe paulista.

Diante do Vasco, Arboleda sofreu uma contratura muscular na coxa direita, que o tirará da partida contra o Palmeiras, no sábado (31). Ele foi substituído justamente por Bruno Alves, que surge como favorito para assumir a vaga do equatoriano no clássico.

Físico de Benítez impacta nos números

Martin Benítez e jogadores do São Paulo trabalham na academia do hotel em Fortaleza, após empate com Ceará - Rubens Chiri/São Paulo FC - Rubens Chiri/São Paulo FC
Imagem: Rubens Chiri/São Paulo FC

A preocupação com Martín Benítez tem sido uma constante desde que o argentino chegou ao São Paulo. Convivendo há tempos com problemas físicos, ele fez jogos completos apenas duas vezes. Tirando as vezes em que vem do banco, Benítez tem sido uma substituição certa que Crespo tem que fazer ao longo dos jogos.

A situação impacta na minutagem do argentino. Desde que o Campeonato Paulista terminou, ele esteve em campo por apenas 598 minutos. O número fica bem abaixo do de Gabriel Sara. Transitando entre a titularidade e a reserva, o camisa 21 esteve em campo durante 946 minutos, sendo o sétimo jogador com mais tempo de jogo no São Paulo desde o fim do Paulistão.

Pablo tem menos tempo do que Vitor Bueno e Rojas

Pablo abraça Crespo após marcar para o São Paulo contra o Vasco - Marcello Zambrana/AGIF - Marcello Zambrana/AGIF
Pablo abraça Crespo após marcar para o São Paulo contra o Vasco
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

O gol marcado contra o Vasco encerrou um jejum de quase dois meses sem que Pablo balançasse as redes. O período de jejum fez com que o camisa 9 perdesse cada vez mais espaço na equipe de Hernán Crespo.

Na comparação das minutagens, Pablo aparece atrás de Vitor Bueno e João Rojas, outras opções testadas por Crespo para substituir os titulares Rigoni e Eder. O camisa 9 soma 496 minutos em campo, contra 517 de Bueno e 518 de Rojas.

No time profissional a pouco mais de um mês, Marquinhos vem ganhando posições no ranking dos que mais entraram em campo. Os 275 minutos somados por ele parecem pouco à primeira vista, mas impressionam quando se sabe que ele foi titular pela primeira vez há pouco mais de uma semana, durante a vitória de 3 a 1 do São Paulo sobre o Racing, pela Libertadores.

"Quando você está em um time grande assim, não pode pensar em jogar todos os jogos. Talvez se quiser jogar todos os dias, pode ir para um time com menos competições. Com três competições, antes ou depois vai jogar. E temos 35 jogadores no elenco do São Paulo. Algum atleta muito, outros menos, mas quase todos têm a possibilidade de jogar", prosseguiu Crespo, durante a coletiva de quarta-feira (28).

Veja os 15 jogadores que mais tempo estiveram em campo pelo São Paulo pós-Paulistão*:

1 - Tiago Volpi - goleiro - 1674 minutos - 17 jogos
2 - Bruno Alves - zagueiro - 1425 minutos - 15 jogos
3 - Léo - zagueiro - 1343 minutos - 15 jogos
4 - Reinaldo - lateral - 1147 minutos - 13 jogos
5 - Liziero - volante - 1079 minutos - 14 jogos
6 - Igor Vinícius - lateral - 951 minutos - 11 jogos
7 - Gabriel Sara - meia - 946 minutos - 13 jogos
8 - Rodrigo Nestor - volante - 902 minutos - 14 jogos
9 - Welington - lateral - 896 minutos - 11 jogos
10 - Rigoni - atacante - 888 minutos - 13 jogos
11 - Eder - atacante - 759 minutos - 13 jogos
12 - Miranda - zagueiro - 757 minutos - 9 jogos
13 - Diego Costa - zagueiro - 731 minutos - 10 jogos
14 - Arboleda - zagueiro - 639 minutos - 7 jogos
15 - Luan - volante - 630 minutos - 8 jogos

*Os números levam em conta os acréscimos das partidas

São Paulo