PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Perrone: "Flamengo joga com prazer e Renato transmite isso aos jogadores"

Do UOL, em São Paulo

29/07/2021 23h28

Classificação e Jogos

O Flamengo está com a vaga praticamente assegurada para as quartas de final da Copa do Brasil. Nesta quinta-feira (29), o time rubro-negro goleou o ABC por 6 a 0 no Maracanã, no duelo de ida das oitavas da competição. A equipe mantém o aproveitamento de 100% sob o comando de Renato Gaúcho: são cinco vitórias em cinco partidas, com 21 gols marcados e apenas dois sofridos.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte - com os jornalistas Luiza Oliveira, Ricardo Perrone, Marluci Martins e Maria Victoria Poli - a goleada do Fla foi analisada e os comentaristas falaram sobre o quanto Renato Gaúcho já deixou sua influência na equipe.

"O Flamengo jogou muita bola contra o ABC e está encantando. O time joga com prazer, felicidade, alegria e o Renato transmite isso para os jogadores. Uma grande diferença é que, com o Rogério Ceni, os jogadores tinham um pouquinho de medo de errar. Mesmo os atacantes estavam preocupados em fazer o que o Rogério pedia. O Renato canta menos o jogo e os atletas ficam mais à vontade", analisou Perrone.

Para Marluci, o treinador foi inteligente ao poupar titulares do sistema defensivo diante de um adversário que praticamente não incomodou e manter os principais nomes do ataque, para resolver logo a questão. "Ele conseguiu poupar jogadores, como a dupla de zaga e Filipe Luis, e se deu ao luxo de manter Gabigol. O Renato me passou a impressão de que está desafiando o Gabigol. Ele era fominha e tem essa preocupação. É uma cobrança interna em tom de brincadeira, mas que estimula o jogador. É um Fla que atropela e a gente não consegue imaginar onde vai parar", comentou.

A mudança no clima do elenco após a chegada de Renato Gaúcho é nítida, como apontou Mavi. "Ficou claro que Renato e Flamengo são a cara um do outro. Essa mudança passa cem por cento pelo vestiário. O Renato tem esse histórico de recuperar jogadores e os deixa mais livres. Está na cara que o time joga mais solto. É o mesmo elenco qualificado e, taticamente, não mudou muito. O Flamengo está jogando mais solto e feliz", destacou.

Nomes como Michael e Bruno Henrique voltaram a ter boas atuações após Renato Gaúcho assumir o comando da equipe. A recuperação deles é um dos méritos do técnico, como disse Marluci. "O Renato está devolvendo a confiança a esses jogadores fundamentais. Ele está resolvendo pequenos problemas com essa psicologia que adquiriu como excelente jogador que foi. Acho perigoso e injusto com o Renato esquecer que ele é um bom treinador. Não é um cara que só tem o diálogo do boleiro", enfatizou.

O reflexo desse trabalho tanto psicológico como tático de Renato se vê nos bons resultados em campo, como frisou Perrone. "O elenco tem caras criativos, que são do improviso. Eles precisam dessa liberdade. Eu os vejo mais alegres com a bola no pé. Tudo isso se traduz em gols", completou o colunista.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol