PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Flu precisa de gols na Copa do Brasil, mas convive com ataque deficiente

Fred só marcou uma vez em suas últimas dez partidas - Lucas Merçon/Fluminense FC
Fred só marcou uma vez em suas últimas dez partidas Imagem: Lucas Merçon/Fluminense FC

Do UOL, em São Paulo

28/07/2021 04h00

O desempenho ofensivo do Fluminense é preocupante. No momento em que precisa de gols para avançar na Copa do Brasil, o time dirigido por Roger Machado tem falhado na hora de balançar as redes e coloca em risco sua sequência no torneio de mata-mata.

No próximo sábado (31), o Fluminense precisa marcar pelo menos dois gols contra o Criciúma para se classificar diretamente para as quartas de final. Se vencer apenas por um gol de diferença, a disputa será nos pênaltis. Na partida de ida, ontem (27), em Santa Catarina, o Tricolor perdeu por 2 a 1.

Desde que começou a disputa do Campeonato Brasileiro, o Fluminense não tem se dado bem com os gols. Em 17 partidas, incluindo jogos por Libertadores e Copa do Brasil, marcou 17 gols. Nos últimos seis jogos, o Tricolor ficou sem balançar as redes em três oportunidades.

Também não é fácil encontrar uma partida em que o Fluminense marcou pelo menos dois gols. Nestes mesmos 17 jogos, foram quatro vezes. Duas delas aconteceram justamente contra adversários em torneios de mata-mata: o Red Bull Bragantino (Copa do Brasil) e Cerro Porteño (Libertadores).

Esse problema coincide com a falta de gols de seus centroavantes. Fred, por exemplo, marcou apenas uma vez em suas últimas dez apresentações. Foi na goleada sofrida para o Athletico-PR por 4 a 1 em pleno Maracanã. Antes desta sequência, o ídolo tricolor havia emplacado um excelente início de temporada, com 11 gols marcados em 14 jogos.

Abel Hernández, outro centroavante do elenco, quebrou seu jejum ontem, contra o Criciúma, em cobrança de pênalti. Ele não marcava desde o dia 13 de junho, quando o Fluminense empatou com o Bragantino pelo Brasileirão.

Roger, contudo, fez questão de defender Fred de eventuais críticas pela falta de gols do time. "Todo centroavante precisa ser municiado, precisa que as jogadas aconteçam para ele pelo fato de ser o jogador que está presente dentro da área. Precisa que a organização do time funcione para que ele tenha mais oportunidades de gol", disse após a derrota para o Criciúma, admitindo que não há muitas opções no elenco.

Com a falta de oportunidade para seus artilheiros, a tarefa dos gols tem sido executada por jogadores de outros setores. Dos últimos dez tentos marcados pelo Tricolor, o reserva Lucca e o armador Nenê são os principais artilheiros, com dois gols cada. Completam a relação Abel Hernández, Fred, Egídio, Caio Paulista, Cazares e André.

Futebol