PUBLICIDADE
Topo

Copa do Brasil - 2021

Cuca e Dado preparam 'jogo estratégico' em mais um Atlético-MG x Bahia

Atlético-MG e Bahia farão mais dois jogos nos próximos nove dias, agora pela Copa do Brasil - Felipe Oliveira/EC Bahia
Atlético-MG e Bahia farão mais dois jogos nos próximos nove dias, agora pela Copa do Brasil Imagem: Felipe Oliveira/EC Bahia

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

27/07/2021 04h00

Classificação e Jogos

Atlético-MG e Bahia abriram, no último domingo (25), o primeiro dos três jogos que os clubes farão até o início de agosto. No encontro de anteontem, o Galo levou a melhor pela 13ª rodada do Brasileirão ao aplicar 3 a 0, no Mineirão. Agora, os dois próximos compromissos serão válidos pelas oitavas de final da Copa do Brasil, sendo que a partida de ida será amanhã (28), às 21h30 (de Brasília), e a volta no dia 4 do próximo mês.

Mesmo com o placar dilatado favorável ao Atlético-MG, Cuca ressaltou que o Bahia deu muito trabalho na partida do Brasileirão, e pelas entrevistas recentes do próprio atleticano, e de Dado Cavalcanti, treinador do Tricolor de Aço, teremos mais dois jogos duros pela frente.

"Eu não esperava o Bahia com uma linha de cinco como eles fizeram, depois uma linha de quatro e o Gilberto [no ataque]. Se eles encurtam e fazem uma marcação bem curta como fizeram, encaixando as linhas, vai sobrar o lado de campo uma vez ou outra, como sobrou para nós com o Dodô. E não foram muitas sobras que a gente teve. Tivemos que nos adaptar à situação durante o jogo. No meio tempo mudamos, fizemos o que entendemos o que deveríamos naquele momento, e quem entrou, entrou bem, contribuiu para a vitória, abriu mais espaços e fizemos um segundo tempo melhor que o primeiro, porque entendemos o adversário", explicou Cuca.

Cavalcanti pode repetir uma estratégia que ele mesmo pensa ter dado certo no jogo do último domingo, que foi "povoar o meio-campo".

"Acho que a estratégia em povoar o meio surtiu efeito, mas sabemos que o Atlético-MG é um time que explora muito o meio e, em um deslize nosso, justamente no momento em que não preenchemos esse espaço, o espaço do funil [que é uma faixa faixa central próxima a grande área], aconteceu o primeiro gol. O primeiro gol foi uma fatalidade nossa, coletiva, um erro nosso mais a qualidade do adversário. Os outros dois aconteceram, infelizmente, em erros, que fazem parte, porque os jogadores estão em campo às vezes para errar, às vezes para acertar", analisou o comandante do time baiano.

Bahia na visão de Cuca

A primeira partida entre Galo e Bahia pelas oitavas de final acontecerá no Mineirão. Mesmo sem torcida, o fator campo é positivo para a equipe de Cuca, invicta nos últimos sete jogos em casa, contando Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores.

"O adversário nos trouxe muitos problemas. Não só com a marcação baixa, mas na velocidade de contra-ataque que eles têm. É o primeiro dos três jogos com o Bahia na sequência, e vamos ter que melhorar, subir o sarrafo para quarta-feira fazer um jogo melhor e ter um melhor resultado", ponderou Cuca, que elogiou atletas do adversário.

"Cada jogo é uma história. Rossi é bom jogador, Gilberto é bom jogador, Galdezani é bom jogador, Rodriguinho é bom jogador, Nino Paraíba, muitos bons jogadores, uma boa equipe. O momento deles não é o ideal, mas a qualquer hora pode virar. Temos que tomar muito cuidado com cada jogo. Hoje é uma história, ponto final, dessa história vem o segundo turno. Agora entram jogos diferenciados que são os mata-matas da Copa do Brasil", disse.

Jogar por uma bola?

O discurso de Dado Cavalcanti indica que o Bahia vai esperar o Atlético-MG encaminhar suas ações ofensivas para, quem sabe, aproveitar deslizes do adversário. O treinador vislumbra balançar as redes de Everson para, se possível, levar uma vantagem no jogo de volta.

"É tentar corrigir ao máximo possível os erros individuais, porque o placar de 1 a 0 no jogo de quarta-feira nos deixa vivo na Copa do Brasil, o placar de três não. São completamente diferentes as condições que a gente entende. Vamos juntar os 'cacos', vou procurar, obviamente, o melhor do Bahia para quarta-feira. Mas volto a falar, não vou jogar tudo no lixo. Acho que o placar de 3 a 0 foi um pouquinho mentiroso em relação ao que as equipes apresentaram e, principalmente, ao que o Bahia apresentou de forma defensiva", analisou Cavalcanti.