PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Botafogo supera o CSA, vence segunda seguida e ultrapassa rival na tabela

Botafogo comemora gol de Marco Antônio em triunfo sobre o CSA no Nilton Santos - ÉRICA MARTIN/THENEWS2/ESTADÃO CONTEÚDO
Botafogo comemora gol de Marco Antônio em triunfo sobre o CSA no Nilton Santos Imagem: ÉRICA MARTIN/THENEWS2/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/07/2021 23h25

Classificação e Jogos

Em jogo atrasado da sexta rodada da Série B do Brasileiro, o Botafogo venceu o CSA por 2 a 0 na noite desta terça-feira (27). Em uma partida muito truncada e disputada no meio-campo, o Alvinegro esteve ligado durante todo o tempo e conseguiu os gols com dois passes de Rafael Navarro. O primeiro para Marco Antônio, aos 42 do primeiro tempo, e o segundo para Diego Gonçalves, aos 7 do segundo.

Com o triunfo no Nilton Santos, o Fogão chega aos 19 pontos e ultrapassa justamente o CSA na tabela, ocupando agora a 11ª colocação. O resultado positivo foi o segundo seguido, nas duas partidas desde a chegada de Enderson Moreira, que foi expulso na estreia contra o Confiança e, por isso, não ficou no banco. O time alagoano segue com 18 pontos e cai para o 12º posto.

Os times entram em campo neste final de semana pela 15ª rodada. A próxima partida do Glorioso será um clássico: o Vasco vem aí. O confronto, inédito na Série B, acontece neste sábado (31), às 21h, no Engenhão. No domingo (1º), às 18h15, é a vez de o CSA visitar o Remo no Baenão, em Belém.

Na base da vontade

O gol do Alvinegro saiu após muita disposição de Rafael Navarro. O centroavante aproveitou que a zaga dos visitantes se atrapalhou na hora de aliviar o perigo e não desistiu de lutar pela bola até conseguir tocar para a direita. A assistência encontrou Marco Antônio sozinho, que calibrou o pé e saiu para o abraço com os companheiros.

O camisa 99 da equipe carioca estava em noite de garçom. Rafael Navarro conseguiu se impor fisicamente e roubar a bola da zaga do CSA, mais uma vez, e avançou até entrar na área, quando rolou para a esquerda desta vez. No setor, Diego Gonçalves teve liberdade para bater cruzado de canhota e ampliar o placar.

Segundo gol solta o time

Explorando as jogadas de velocidade e se impondo em campo, o Glorioso cresceu na partida com a vantagem de dois gols. Rafael Navarro quase chegou ao seu terceiro passe para gol. Pelo meio, aos 22 do segundo tempo, o centroavante novamente acionou Marco Antônio pela esquerda, que bateu firme, de primeira, mas parou na trave desta vez.

Cinco minutos depois, Chay avançou pelo meio, passou por dois adversários e ficou na cara do goleiro. Mas bateu em cima de Thiago Rodrigues, que espalmou o que seria um golaço do meia.

Primeiro tempo sem muito futebol

As duas equipes estavam bem aplicadas taticamente dentro de campo. No entanto, o confronto ficou totalmente travado no meio, com muita disputa pela bola e 18 faltas somente nos primeiros 45 minutos do duelo. O CSA tinha uma postura mais defensiva e finalizou apenas uma vez até o vestiário. A melhora após o intervalo se reflete na ausência de cartões amarelos: os três da partida foram mostrados nos 45 minutos iniciais. Além disso, o bola fluiu melhor, sem tantos lances de disputa intensa no meio.

Desafogo com Guilherme Santos

O lateral esquerdo do Botafogo foi o principal nome da equipe, principalmente na primeira etapa. As jogadas ofensivas eram concentradas no setor e o atleta sempre avançava para tentar ajudar na criação do time, ao lado de Diego Gonçalves. Em um cruzamento dele, aos 20, quase Lucão tocou contra o próprio gol e abriu o marcador para os mandantes. Aos 33, Diego bateu firme da esquerda e acertou a rede, porém pelo lado de fora.

Pouco perigo

A única finalização do Azulão no primeiro tempo foi um belo chute cruzado de Gabriel, que obrigou Diego Loureiro a fazer uma grande defesa. Aos 38, Dellatorre cruzou perigosamente da direita e o lateral Daniel Borges afastou o perigo.

Amarelo da mudança

Bruno Mota discutiu muito com Gilvan no final do primeiro tempo e os dois foram advertidos com o amarelo por causa disso. Mas a punição maior ao atacante do Alviceleste veio no vestiário, quando foi substituído por Yago. Matheus Felipe, o outro amarelado do Azulão, saiu aos 18 minutos para a entrada de Dudu Beberibe.

Ney Franco tentou colocar os visitantes para frente, contudo o gol do Bota aos 7 minutos freou o ímpeto dos alagoanos. Sem uma defesa ajustada e poder de fogo no ataque, o time pouco fez para buscar qualquer ponto no Engenhão.

CSA pressiona após alterações

Aos 28 minutos, o CSA, de uma só vez, fez três mudanças: Giva Santos, Reinaldo e Ewerthon foram acionados por Ney Franco, que buscou uma formação com três atacantes. Cinco minutos depois, Luís Fernando Flores respondeu e colocou Rafael Moura e Luís Oyama nas vagas de Rafael Navarro e Chay.

Logo depois, Ênio também veio para campo. As pausas para as trocas foram longas, já que os jogadores do Alvinegro pediam a maca para deixar o gramado, mostrando nitidamente que os mandantes estavam conformados com o resultado, enquanto o Azulão ainda lutava e teve a chance de reagir com Yago, que sozinho na pequena área, desperdiçou a linda jogada de Reinaldo pela esquerda.

Ficha técnica

BOTAFOGO 2 x 0 CSA
Data: 27/07/2021
Local: Estádio Nilton Santos, o Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ);
Hora: 21h30 (de Brasília);
Árbitro: Douglas Schwengber da Silva (RS);
Auxiliares: André da Silva Bitencourt (RS) e Fabrício Lima Baseggio (RS);

Gols: Marco Antônio, aos 42' do primeiro tempo, e Diego Gonçalves, aos 7' do segundo tempo, para o Botafogo.

Cartões amarelos: Gilvan (BOT); Matheus Felipe, Bruno Mota (CSA).

Botafogo: Diego Loureiro; Daniel Borges, Mezenga, Gilvan e Guilherme Santos; Barreto, Pedro Castro (Matheus Frizzo) e Chay (Luís Oyama) ; Marco Antônio (Ênio), Diego Gonçalves (Romildo) e Rafael Navarro (Rafael Moura). Técnico: Luís Fernando Flores.

CSA: Thiago Rodrigues; Matheus Felipe (Dudu Beberibe), Lucão, Fabricio e Ernandes; Geovane, Silas (Giva Santos) e Renato Cajá (Reinaldo); Gabriel, Bruno Mota (Yago) e Dellatorre (Ewerthon). Técnico: Ney Franco.

Futebol